Escola Municipal Pilarzinho, Escola Municipal

logo escola

Vamos conversar sobre protagonismo feminino?

    Publicado por:  Sueli Erthal Bazani

     

         Março, mês da Mulher e a EM Pilarzinho, dando continuidade aos trabalhos iniciados no começo deste mês, acatou o convite da Secretária da Educação de Curitiba, Maria Silva Bacila para desenvolver “de maneira muito didática, abordagens de  comunicação não violenta, ensinando lições imperiosas sobre como evitar a violência contra a mulher.” Desta forma, nos apropriamos de sugestões do Caderno Protagonismo Feminino: Ações pedagógicas para a não violência (CURITIBA, 2022) para enriquecer as práticas pedagógicas desenvolvidas na unidade.  

         Na manhã do dia 18/03/2022 a vice-diretora juntamente a articuladora Flávia, professora Fernanda, inspetoras e estudantes do 5º realizaram um debate para resolver conflitos que vêm ocorrendo nos recreios, durante os jogos de futebol, onde meninos e meninas participam. Utilizou-se a tirinha da Turma da Mônica (universoeducom.orgapud Caderno Protagonismo Feminino: Ações pedagógicas para a não violência, como elemento disparador da reflexão. Durante a conversa lembrou-se dos principais avanços conquistados pelas mulheres desde os primórdios. Na sequência, conversou-se sobre a igualdade de gênero no que tange às brincadeiras infantis. Atualmente, não podemos mais aceitar a reprodução de comportamentos discriminatórios tais como, “meninas brincam de casinha, meninos de bola”, “mulheres são naturalmente sensíveis, homens são racionais”, “menino não chora”. Esta proposta contempla ações previstas no Plano de Ação da instituição, entre elas, a meta 5 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)  que visa “alcançar a igualdade de gênero e empoderar as mulheres e meninas acabando com todas as formas de discriminação.

         Como símbolo de proteção à meninas e mulheres, na sequência, os estudantes plantaram uma muda de ipê roxo em homenagem ao março lilás que preconiza, além dos objetivos acima descritos, o cuidado com a saúde feminina.

        Destaca-se que este é apenas o início de uma longa jornada, em que através da atuação em diferentes práticas pedagógicas almeja-se desenvolver  o respeito mútuo, a igualdade e justiça social.

     

Autor: Sueli Erthal Bazani | Fonte: EM Pilarzinho
00333871.jpg
Estudantes do 5º ano plantando ipê roxo em homenagem ao março lilás.
1/7