Um ninho no Pelanda

    Publicado por:  Josiane Gurak Lous

 

No decorrer do semestre, as crianças da turma do Maternal Único foram sempre incentivadas a observarem os detalhes que rodeiam os espaços externos do CMEI. 

Em uma bela tarde, após lermos para as crianças a História: “O casal de João de Barro”, os pequenos ficaram empolgados para sair em busca de um casal de João de Barro no CMEI. Fomos então à sua procura!

Andamos, observamos, conversamos, passamos por todos os espaços do CMEI e nada do João de Barro. Mas quando chegamos perto de uma das árvores, avistamos dois pássaros construindo um ninho. Eram duas rolinhas, as quais as crianças chamaram de: “O casal de namorados”. Mas eles eram diferentes das rolinhas, eram marrons e não cinzas! 

As crianças logo levantaram suas hipóteses: será que é o casal de João de Barro? Mas como o ninho estava alto, para que as crianças conseguissem visualizar, as professoras tiraram uma foto e ao visualizarem juntos, havia lá dois lindos passarinhos dormindo no ninho. Combinamos então, de ir visitá-los todos os dias para ver como iriam crescer. 

Através das visitas, tivemos a oportunidade de ver os pássaros esperando comida da mamãe, dormindo - eles também têm hora do sono, vimos as penas crescerem e os filhotes ficarem grandes. A mamãe deles sempre estava atenta aos movimentos próximo ao ninho.

Surgiram muitas curiosidades, aproveitamos as fotos para apreciar ainda mais os detalhes deste ninho tão especial e também fizemos desenhos de observação. Por fim, fomos todos impactados com a partida dos nossos queridos pássaros.

Sim! Ao visitarmos o ninho em uma tarde, vimos que eles não estavam mais lá, havia chegado o dia de lançarem vôo, saírem para conhecerem o mundo, e novamente, foram muitas as hipóteses das crianças sobre a partida dos pássaros. 

Até avistamos em um dos espaços do CMEI penas de passarinho espalhadas pela grama, parecia que um dos pássaros havia sido atacado por algum animal. Todos ficaram muito tristes, conversamos com as crianças que na natureza é assim, alguns animais se alimentam de outros para sobreviverem. E neste momento triste, ao vermos o ninho vazio e destroços de um dos pássaros, uma das crianças lembrou que eram dois pássaros e destacou que um deve ter voado e se salvou. 

Sim! E pode ser que o outro esteja por aí, nos observando! Batemos então uma salva de palmas, para os pássaros corajosos do CMEI Pelanda. 

" A experiência, a possibilidade de que algo nos aconteça ou nos toque, requer um gesto de interrupção, um gesto que é quase impossível nos tempos que correm: requer parar para pensar parar olhar, parar para escutar, pensar mais devagar, olhar mais devagar e escutar mais devagar; parar para sentir, sentir mais devagar, demorar-se nos detalhes, suspender a opinião, suspender o juízo, suspender a vontade, suspender o automatismo da ação, cultivar a atenção e a delicadeza, abrir os olhos e os ouvidos, falar sobre o que nos acontece, aprender a lentidão, escutar aos outros, cultivar a arte do encontro, calar muito, ter paciência e dar-se tempo e espaço." ( BONDÍA, 2002) 

O nosso cotidiano sempre foi recheado de aventuras! 

Continuaremos na busca de nos maravilharmos com as crianças, olhando para o mundo que nos cerca!

 

Professoras Paola e Roselaine 

Autor: Josiane Gurak | Fonte: CMEI Pedro Pelanda
00326974.jpg
Um ninho no Pelanda
1/19