Um mosquito que incomoda muita gente

    Publicado por:  Débora Giselle Culpi

      Armadilhas, repelentes, garrafas viradas pra baixo, vasos de plantas com areia nos pratos e muitos outros cuidados para evitar a água parada são informações e precauções que as pessoas já sabem que devem ser tomadas para evitar a picada do mosquito Aedes aegypti e sua multiplicação. A ação é eliminar os criadouros, porém, infelizmente, o Brasil está diante de uma grave emergência de saúde pública devido à ploriferação do mosquito e suas consequências: Dengue, a Febre  Chikungunya e a transmissão do vírus Zyka.

      A escola CEI Raoul Wallenberg vem desenvolvendo ações educativas e pedagógicas envolvendo os alunos e a comunidade na mobilização e conscientização de atitudes de prevenção. Cartazes, debates e conversas, orientações e instruções, pesquisa orientadas na internet, vídeos educativos, criação de histórias em quadrinhos e apresentação de teatro sobre o tema, foram atividades já desenvolvidas para promover a busca por uma ambiente livre da ploriferação do Aedes aegypti.

      No Momento Cultural apresentado no dia 9 de março, os estudantes do 3º ano, juntamente com a professora Rita Edith Scheffler de Almeida, das Práticas Artístias/Teatro, encenaram uma peça teatral sobre os cuidados e a prevenção contra a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. Com delicadeza quanto ao assunto abordado e, de maneira divertida, a história apresentada relatou bem a situação que o país está vivendo. Ressaltou os itens que foram abordados nas aulas fazendo um fechamento de ideias das atividades que haviam sido realizadas sobre o tema.

       Uma das informações bastante difundida pela escola foi a de que o mosquito só pode ser combatido com espírito de equipe, eliminando os criadouros. Se cada um fizer a sua parte, em suas casas, e levar as informações aprendidas para seus familiares e amigos, a prevenção será o instrumento de maior eficiência contra o mosquito. 

     O importante agora é incentivar os estudantes a dar continuidade ao trabalho e multiplicar os conhecimentos, passá-los adiante. Afinal de contas, se o seu vizinho não se preocupar pertinho de você poderá nascer novos mosquitos Aedes aegypti.

         E você, está pronto para essa missão?

Autor: CEI Raoul Wallenberg, EM | Fonte: Débora Giselle Culpi