Um legado cultural que se preserva no ato de tecer das meninas e dos meninos!

    Publicado por:  Aline Eluize Cardoso

 

O ato de tecer é muito antigo, estima -se que o tear tenha sido inventado a mais de 6.000 anos, pois o homem começou a utilizar o conhecimento com a cestaria, utilizando fibras flexíveis como algodão, linho e lã, para começar a desenvolver vestimentas. Assim o homem, esticando estes fios, amarrados entre uma árvore e o próprio corpo, alternavam a trama, improvisando o tear. 

O ato de tecer encontra – se com a liberdade criativa e as variadas formas de inovar e inventar com linhas e traços.

Os diferentes contrastes, volumes e texturas intrigantes, linhas que se entrelaçam entre peças, lado a lado, e se esparramam sob a mesa foram visíveis nas mãos e no toque das crianças ao realizar o tecer de sua peça. Nas mais variadas possibilidades tridimensionais cada criança da turma do Pré II  teceu com sensibilidade, inovação e invenção. O trabalho manual que exerceram calmamente e com atenção esteve ligado pela improvisação que surgiu em cada ousadia entre traços.

Olhar a peça foi uma jornada pessoal com sentimentos, desejo, com estilo e ideias criativas! Cada movimento com as mãos, no rodar, no empurrar, no puxar proporcionou conhecimentos em que o nível da prática e da experiência no ato de tecer criou possibilidades infinitas de novas criações! Um legado cultural que se preserva no ato de tecer das meninas e dos meninos!

 

Confiram nas imagens alguns momentos da construção das peças realizadas pelas crianças ao decorrer do 2° Semestre deste ano com a mediação das professoras Cleonice Ribeiro dos Santos e Aline Eluize Cardoso.

 

Eterno Abraço! Equipe CMEI Ciro Frare

 

Autor: Aline Eluize Cardoso - Cleonice Ribeiro dos Santos | Fonte: CMEI Ciro Frare
00321528.jpeg
Confiram nas imagens alguns momentos da construção das peças!
1/24