UM ENCONTRO DE QUINTAL

    Publicado por:  Gisele Pachulski

 

Deste grande convite levado por uma das professoras à equipe, outros convites surgiram e foram estendidos às crianças de todas as turmas, berçários, maternais e prés, na manhã de inverno quentinha da sexta-feira, dia 26 de agosto.

Reunir-se do lado de fora, ao ar livre junto aos amigos, tornou o CMEI Ivonete Rosa naquela manhã de sexta-feira, um verdadeiro quintal. 

Mas, o que seria um quintal?  Que significados podem ter para crianças e adultos?  Quais aprendizagens e descobertas circulam neste espaço? Que tipo de memórias podem se constituir nele?

O tempo das infâncias é perpassado por curiosidades, investigações, interações, brincadeiras e afetos. Nessas relações, cada um e cada grupo habita os ambientes para viver experiências únicas. Conhecer, expressar, explorar, brincar, conviver e participar são direitos que podem ser reconhecidos num espaço de quintal como um lugar que convida, instiga, acolhe e valoriza as crianças em sua essência. 

No cultivo desse quintal estão os adultos disponíveis, observadores presentes e com intencionalidades em suas escolhas,  que se representam por meio da organização dos tempos, espaços e materiais. 

E como diria Malaguzzi, uma grande referência para a educação infantil: “Nada sem alegria!” 

Assim se fez a manhã de encontros e interações no quintal do CMEI. Dentre as tantas possibilidades com dinossauros, elementos de cozinha, redário, petecas, bolas, bolhas de sabão, tecidos, objetos sonoros, areia e parque, as relações existiram com riqueza entre bebês, adultos e crianças, numa variação movida a significados! 

Autor: CMEI IVONÉTE ROSA DE SOUZA | Fonte: PEDAGOGA ANDREA BINHARA
00371100.jpg
UM ENCONTRO DE QUINTAL
1/16