Treinamentos para emergências são realidade em toda a rede municipal

    Publicado por:  Maria Duarte

Criado em 2005, o programa Conhecer Para Prevenir (CPP) – que prepara a comunidade escolar para enfrentar situações de risco e emergências - abrange todas as escolas municipais e também começou a ser expandido para as instituições de ensino contratadas. É realizado em parceria pelas secretarias da Educação e Defesa Social e Trânsito.

Nesta quinta-feira (28/11) foi realizada a cerimônia de encerramento das atividades do ano do CPP, no Salão de Atos do Parque Barigui, que contou também com a formatura de 23 estudantes treinados em primeiros socorros.

“Nesta gestão o programa atingiu 100% das unidades. Quantas vidas salvamos, pois aquilo que os estudantes aprendem podem também repassar às famílias, servindo como multiplicadores das informações. Este programa apoia a vida”, disse a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila.

O secretário da Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel, destacou que com essa iniciativa Curitiba permanece na vanguarda em ações de prevenção. “Fico muito contente de ver os curitibinhas prontos para agir em situações emergenciais, e isso eles ensinarão para os outros”, comentou Rangel.

As atividades englobam capacitação de educadores, estudantes e funcionários em casos de incêndios, vazamento de gás, ataque de abelhas, situações de violência ou acidentes.

A diretora de Logística da Educação, Maria Cristina Brandalize, destacou os avanços do CPP nos últimos anos. “Além de expandirmos para os Centros de Educação Infantil contratados, a rede particular também se interessou pelo programa, o grupo Marista”, relatou.

Em atendimento à Lei Municipal 15.346/18, a Lei Lucas, a diretora explicou que a Secretaria Municipal da Educação já disponibilizou 2,4 mil vagas do curso de Prevenção de Acidentes e Primeiros Socorros. “As unidades que tiveram a participação de dois profissionais que concluíram o curso receberão uma placa com o selo da Lei Lucas”, explicou Maria Cristina.

A lei recebeu esse nome em homenagem um menino que morreu engasgado, no Estado de São Paulo. A morte poderia ter sido evitada se alguém próximo tivesse treinamento em primeiros socorros.

Samu na escola

A novidade deste ano foi um treinamento específico em primeiros socorros. Durante a solenidade, foram entregues certificados a 23 estudantes da Escola Municipal Bairro Novo do CAIC Guilherme Lacerda Braga Sobrinho que participaram do projeto Socorrista Mirim, ministrado pelo Samu

“Adorei as simulações de emergências, a gente aprende muito e pode ajudar os outros caso engasguem, se machuquem ou algo assim”, contou Camille Victória Rodrigues, do 5º ano.

Presenças

Participaram o superintendente Executivo da Educação, Oséias Santos de Oliveira; o superintendente de Defesa Social, Odgar Nunes Cardoso; o representante do Departamento de Urgência e Emergência da Secretaria Municipal da Saúde, Gerson Albuquerque; o vereador Mauro Bobato; e chefes dos Núcleos Regionais da Educação.

Autor: SME | Fonte: SME