Transporte de estudantes de inclusão terá melhorias

    Publicado por:  Maria Duarte

A partir de 27 de abril, duas novas empresas assumem o transporte dos 2,3 mil estudantes de inclusão atendidos pelo Sistema de Transporte para Educação Especial (Sites).

Com o objetivo de explicar aos pais e responsáveis as melhorias que virão com a mudança, o Departamento de Inclusão e Atendimento Educacional Especializado da Secretaria Municipal da Educação deu início a uma série de reuniões com as famílias.

A partir de licitação, agora serão duas empresas privadas – Trans Isaak e Unicargas – que passarão a atender os 2,3 mil estudantes do Sites.

Até a mudança, o contrato da Educação – que gerencia o Sites desde 2005 – é com a Urbs.

Além da economia nos novos contratos, a Secretaria busca a melhoria das rotas, para tornar o transporte mais eficaz.

As reuniões com os responsáveis foram iniciadas na última sexta-feira (28/2), no Salão de Atos do Parque Barigui, e seguem nas próximas semanas.

Pedido atendido

Uma das reivindicações dos pais era a redução do tempo de transporte dos estudantes. Com a mudança, as linhas serão diretas e deixam de operar pelo atual terminal do Cristo Rei, economizando custos e tempo de trajeto. A Prefeitura estuda o que será feito naquele espaço.

Estudo interno da Secretaria da Educação apontou que na atual manutenção de um espaço como o terminal, a secretaria gasta em torno de R$ 20 milhões anuais. Porém, com a nova proposição das linhas diretas, a economia inicial será próxima a R$ 4 milhões.

Além disso, o trânsito na região fica menos congestionado.

O que é o Sites

A Prefeitura de Curitiba assegura aos estudantes com deficiência e transtornos globais do desenvolvimento o acesso gratuito ao transporte até as 32 escolas especializadas municipais (3), estaduais (4) e filantrópicas (25), dentro do limite urbano de Curitiba.

Ao todo, são 60 ônibus envolvidos, que rodam oito mil quilômetros por dia.

Os ônibus, adaptados às necessidades dos seus usuários, têm rotas preestabelecidas para atender aos estudantes a partir de um ponto o mais próximo possível de suas residências, e horários definidos. Motoristas, profissionais e atendentes do sistema passam por capacitação.

Autor: SME | Fonte: SME