Sustentabilidade é a palavra de ordem na escola

    Publicado por:  Julio Cesar da Cruz Machado Junior

        Sabemos que a vida humana nas suas relações com a natureza e com o desenvolvimento sustentável é capaz de satisfazer suas necessidades presentes, porém, podem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades.

        Para tanto, como uma forma da sociedade buscar esse desenvolvimento sustentável, e viver com mais qualidade de vida, Sachs (1993) elaborou sete dimensões da sustentabilidade: ecológica, econômica, social, territorial, cultural, política e psicológica. Seguindo esses parâmetros e adotando ações coerentes, a humanidade pode garantir o desenvolvimento sustentável para as diversas formas de vida, inclusive a humana.

       Neste contexto, a Escola Municipal Professor Erasmo Pilotto, está engajada e comprometida com as questões da sustentabilidade. Os profissionais estão desenvolvendo ações e a conscientização das crianças e dos adolescentes por meio da pesquisa, rodas de conversa, relatos, documentários, filmes e elaboração de trabalhos em sala, estendendo também aos familiares. 

        Os profissionais estão desenvolvendo ações e a conscientização das crianças e dos adolescentes por meio da pesquisa, rodas de conversa, relatos, documentários, filmes e elaboração de trabalhos em sala, estendendo também aos familiares. Para mostrar parte desta construção, foi realizado no dia 19 de março do corrente ano, a Feira da Sustentabilidade envolvendo alunos, familiares e profissionais,  com o objetivo de fazer uma mostra do que está sendo trabalhado na escola, usando o mínimo de materiais de almoxarifado. 

          Os trabalhos foram realizados pelos alunos do pré ao ciclo IV,  incluindo jogos matemáticos com materiais de reaproveitamento, latas encapadas para serem utilizadas em outras finalidades, confecção de lixeiras para separação correta dos resíduos, brinquedos, um jogo de percurso gigante com perguntas sobre reciclagem, confecção de sacolas retornáveis com camisetas velhas. Também foi ressaltado quanto à durabilidade dos resíduos e consumo consciente. Neste sentido, foi realizado um bazar a partir das doações de roupas, sapatos e objetos em geral, pelos funcionários da escola, e foi um sucesso.  

           A professora Luciane do componente curricular Língua Portuguesa 6º ao 9º Ano, fez seu relato sobre a feira, “Como fui uma das organizadoras do bazar de novos e seminovos tive pouco acesso às demais atividades. Mas pude apreciar as apresentações das crianças da tarde e fiquei muito comovida. Além disso, os temas abordados (cuidado com a água e preservação à dengue e demais doenças transmitidas pelo mosquito Aeds, ...) são extremamente relevantes neste momento. Pude conferir os alunos do 7º Ano que trabalharam a separação do lixo. Estava muito boa. Quanto ao bazar, foi muito significativo, a comunidade mostrou que tem a escola como referência. Vieram, compraram, entraram na fila para pagar. Tive uma surpresa agradável.”

            Jessé Lemos Rousseng, Auxiliar de Serviços Escolares, também deu seu parecer, “A feira foi bem estruturada, com participação dos alunos. Os trabalhos expostos chamaram bastante à atenção, pois os alunos explicavam sobre o assunto muito bem e a comunidade se fez presente. A aula de “zumba”  também motivou o evento”.    

         Ainda pensando no uso consciente da água, preservação das nascentes e cuidado com o meio ambiente, as turmas do 2º Ano, juntamente com suas professoras, cantaram e apresentaram a música “Planeta Água” de  (Guilherme Arantes).

           No pátio da escola foram plantadas pelos alunos mudas de árvores ornamentais. Cada turma adotou uma árvore ficando com a responsabilidade de regar e cuidar do seu desenvolvimento.

            Também foi realizado aula de “zumba” para todos os interessados incentivando a atividade física e melhorando a qualidade de vida.   

            Outro assunto bastante discutido no momento e que vem preocupando a população é a infestação do mosquito Aedes Aegypti e as doenças que são transmitidas pelo mesmo. Os professores trabalharam em sala a prevenção, a transmissão das doenças e sintomas. Como complemento os alunos do 3º Ano plantaram ervas repelentes como, o manjericão e a citronela. Estudaram o ciclo das plantas, seus benefícios e colocaram a mão na massa produzindo a partir da manipulação dessas ervas, um repelente natural. Também ensaiaram e apresentaram músicas e paródias referentes ao mosquito e doenças por ele transmitidas.

             Segundo a professora Ariane Elisa Felício Mazzei, ensino fundamental ciclo II, “A proposta de sustentabilidade era trabalhar ações com os estudantes que realmente fossem significativas e mostrar que a informação pode ser passada ou adquirida sem a necessidade excessiva de materiais. Os estudantes mostraram o conhecimento que foi aprendido e como isso foi significativo em suas vidas, mudando suas ações e a forma de ver o mundo a sua volta. As apresentações e exposições exploraram a percepção dos estudantes em relação às informações obtidas e como foi significativo para eles o trabalho realizado”. 

          

Autor: Prof. Erasmo Pilotto, EM | Fonte: Sandra Longo
00103601.jpg
susten 8
1/8