SÁBADO DE INTEGRAÇÃO COM AS FAMÍLIAS

    Publicado por:  Caroline Kupczki Krezko
TEMÁTICA: Um olhar sobre a diversidade cultural da Festa Junina no Brasil, a partir da cultura das crianças/famílias.
“Somos quem somos por conta dos nossos antepassados”! (Leno F. Silva)
O que cabe dentro de um currículo de Educação Infantil?
Tudo aquilo que tem significado as crianças e por extensão aos seus familiares; aquilo que considera os conhecimentos prévios da criança trazidos pela experiência e que agregam, ampliam, proporcionando novas experiências e aprendizagens; aquilo que após um longo trabalho resultado de pesquisas, de hipóteses criadas, de atividades realizadas culmina com uma grande celebração, em que a alegria do encontro entre as crianças, as famílias, as professoras, as profissionais das empresas terceirizadas revelam os jeitos culturais, os jeitos de se relacionar; os jeitos de festejar, que muitas vezes não percebemos no dia, dia, nos diferentes papéis desempenhados: de mãe, pai, avô, avó, tio, tia, irmã, irmão, professora, criança!
O ser humano é marcado pela cultura. No entanto a cultura não é igual para todos (as) e ela só será valorizada se fizer sentido a pessoa. Portanto não dá para trazer todas as datas comemorativas para dentro do currículo escolar. O Conselho do CMEI foi bem criterioso, ao planejar as ações festivas que iriam compor o currículo de 2017. A primeira questão considerada foi que deveria entrar para o calendário somente as comemorações que fossem bem significativas às crianças e a comunidade educativa como um todo. Até tentamos não realizar o a integração com as famílias contemplando a cultura da festa junina, em função do calendário ter poucos sábados com as famílias; queríamos contemplar outras questões pedagógicas nessas integrações. No entanto a Festa Junina é uma cultura muito forte em nossa unidade. E principalmente o segmento das famílias não abriram mão de cultura tão marcante as famílias e as profissionais da unidade. Sendo assim aproveitamos para tornar significativas para as crianças trabalhando a cultura de suas famílias e assim elas se identificarem dentro dessa cultura. Foi acordado de que a cultura do adulto não deveria prevalecer sobre a cultura da criança, mas que ela poderia influenciar nas ações transformando a cultura em aprendizagens significativas as crianças. A festa Junina, ou julina, aconteceu no dia 01 de julho, como não poderia ser diferente foi um sucesso! Pela alegria que é própria dessas comemorações; pela a capacidade de contagiar. Nada mais de um caipira estereotipado; nada de ações sem significado. O sucesso se deu pela relevância do evento; uma festividade da cultura da comunidade e por isso significativa a todas (os). Quando há interesse, as pessoas se envolvem, participam. A Festa Junina faz parte das grandes tradições do Brasil. Muito embora seja da cultura da maioria dos brasileiros, ela é comemorada de forma diferente entre uma região e outra. E como os familiares e nossas crianças têm origens de diferentes regiões do país, foi realizado uma pesquisa para saber se as famílias
comemoram as festas juninas e como comemoravam essa tradição. A partir da pesquisa foi ampliado o repertório das crianças; que se encantaram e encantaram pelas descobertas, pela alegria da dança, das roupas e modos de festejar.
As professoras, as crianças, as famílias se envolveram desde as atividades que antecederam a data da integração, assim como na preparação da festa, que tinha a marca das crianças em atividades produzidas, ao trabalhar a cultura da criança, que é marcada pela cultura da família. Ela tem influencia direta sobre o modo de vida de uma comunidade, família. A partir da cultura da criança e famílias ampliaram o repertório das crianças sobre as diferentes manifestações culturais envolvendo a Festa junina. No contexto estava contemplada a diversidade de hábitos, modo de vida e costumes das diferentes regiões do nosso país. Elas aprofundaram os conhecimentos sobre a diversidade de hábitos existentes, estabelecendo relações com o seu universo mais próximo. Nesse sentido, foram abordados assuntos que possibilitam o conhecimento de aspectos socioculturais, hábitos e costumes, vestuário, música e brincadeiras, entre outros. Nessa rede de ações e parceiros, esteve presente, o 5º Batalhão de Logística (BLOG), que escreveu no material que iria usar para instalar as tendas, “Missão CMEI Eraldo Kuster”. Nós nos sentimos prá lá de importantes, pelo exército considerar como missão uma ação que realizariam no CMEI. O BLOG já os consideramos, como nossos parceiros de todas as horas, mais uma vez deixaram a sua marca, instalando tendas e para o encanto das crianças, tiveram a sensibilidade de colocar as laterais camufladas e depois participaram conosco da festa. Agradecemos a toda à comunidade, os comerciantes que colaboraram e participaram de nossa festa, também agradecemos as doações da Escola Municipal São Mateus do Sul. A Festa junina com certeza foi inesquecível. É gratificante perceber a participação massiva da comunidade, que foi e sempre é muito parceira em todas as ações envolvendo o CMEI e nos alegramos pela visita da chefe de Núcleo da Educação do Pinheirinho, a Andressa, a Bianca do DIAE e a todos e todas que participaram de nossa festa. Sabe os recursos arrecadados! Enviamos as famílias uma pesquisa de sugestões e as famílias já estão participando dando sugestões bem pertinentes e pedagógicas em que devemos investir para proporcionar mais qualidade ao ambiente das nossas crianças pequenas! Portanto aguardem as cenas dos próximos capítulos de nossa história; uma história da vida real, em que há espaço só para protagonistas e sabe do que mais, todos e todas que compõe esse espaço são protagonistas!
Autor: Dr. Eraldo Kuster, CMEI | Fonte: Ivete Bussolo
00146136.jpg
festa julina 2017
1/69