Reinauguração do Farol do Saber e Inovação Roberto Barrozo

    Publicado por:  Denise Gonçalves Bertoi

Uma caixa de plástico preta, folhas de plástico transparente, um celular e muita imaginação. Essa foi a receita que encantou a comunidade da Escola Municipal Maria Clara Brandão Tesserolli (Novo Mundo), nesta quarta-feira (22/05), durante a entrega do Farol do Saber e Inovação Roberto Barrozo.“Quero que nossas meninas e nossos piás sejam inspirados pela luz do conhecimento. Não é a máquina que pensa, somos nós que pensamos”, disse o prefeito Rafael Greca.O objetivo é criar espaços de inovação baseados no conceito da educação maker (mão na massa). Antes estruturas com livros e acesso à internet, agora os faróis oferecem também impressoras 3D para criação de protótipos, com o apoio de professores da rede municipal que passam por formação continuada.

No Farol Roberto Barrozo, sob a orientação da professora do espaço maker da unidade, Cynthia Rodrigues Ferreira, os estudantes do 7º ano apresentaram um teatro de sombras e mostraram que é possível construir um projetor de holograma de baixo custo usando a tecnologia digital e materiais recicláveis. “A ideia partiu deles, quando começamos a estudar a luz e as sombras, para projeção de uma peça”, contou a professora. Gabrielle Aquino, uma das estudantes envolvidas no projeto, contou que adora o espaço maker. “A gente aprende a pensar diferente, aprende a pesquisar e resolver questões”, disse. A colega Leticya Pucci concorda. “Nossas ideias nasceram de desafio lançado pela professora, de usar a luz e fazer projeções”, relatou.

Segundo a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, os farois mantêm Curitiba na vanguarda da educação. No ano passado, o projeto participou do Desafio Aprendizagem Criativa 2018, promovido pela Fundação Lemann e Massachusetts Institute of Technology (MIT) Media Lab, e foi anunciado como um dos oito projetos selecionados no país – único na região sul - para integrar o programa de apoio técnico educacional oferecido pela instituição. 

A diretora da escola, Denise Gonçalves Bertol, frisou a importância do espaço maker. “Essa abordagem possui muito potencial e impulsiona a aprendizagem interdisciplinar”, comentou. Toda a comunidade escolar se alegra com mais essa inovação. 

 

Autor: Maria Clara Brandão Tesserolli, EM | Fonte: Maria Clara Brandão Tesserolli, EM
00217526.jpg
novo
1/11