Racismo no futebol "Tô fora"

    Publicado por:  Graciela Aparecida Gomes

Alunos do 5º Ano A tem acompanhado a questão do preconceito futebolístico no jornal analisando notícia (Nó na garganta - 11/04/14), entrevistas (Márcio Chagas da Silva - 13/04/14) e charges (12/04, 28/04 e 29/04/14), através do projeto Ler e Pensar. Surgiu como uma curiosidade desde que a turma conheceu a história de Leônidas da Silva, o Diamante Negro, um negro formidável do futebol brasileiro e criador do gol de bicicleta.
Coincidentemente, o racismo tem ganhado os campos. Jogadores e juízes de futebol têm sido vítimas do preconceito.
Os alunos da turma estão engajados em transmitir solidariedade às vítimas do racismo, apoiando Daniel Alves, Marino (Volante do Paraná) e Márcio Chagas da Silva (árbitro de futebol) e os demais esportistas do futebol que já sofreram algum tipo de preconceito.

Leia o texto de opinião produzido pela aluna Maria Cecília, que retrata de certa forma a opinião da turma.
Preconceito e Racismo

            O futebol é um esporte muito bom, mas é uma pena que alguns torcedores xingam os jogadores negros e joguem bananas no campo e nos carros dos jogadores e juízes. Os torcedores mal educados não veem que não importa como é a nossa pele, mas como somos por dentro, o que sentimos pelo esporte futebol é o que conta.
            A consequência de tudo isso é muito ruim e pode dar cadeia, uma multa muito grande. Além de que xingar os jogadores os deixam muito magoados.
           A única forma de parar é os torcedores tomarem juízo e se sentirem envergonhados, porque se eles fossem negros não gostariam de ser chamados de macaco.

          Creio que algum dia esses torcedores verão que fizeram algo muito ruim para o futebol e para outros seres humanos também.

Maria Cecília – 5º Ano A

Autor: Nympha Mª. da Rocha Peplow, EM/ Graciela Aparecida | Fonte: Professora Luciana Wielewski
00035605.jpg
Painel com notícias sobre racismo no futebol.
1/1