Quando me sinto nervoso.

    Publicado por:  Ana Rigo Novatzki

         

Esta ação foi trabalhada pela Prof. Sandra na Biblioteca, com os estudantes da Educação Infantil, Ciclos I, II, III e IV, da Escola Municipal Professor Erasmo Pilotto.

           Antes da contação da história, foi organizado todo o espaço com colchonetes para que todos pudessem sentar confortavelmente. Com música relaxante, cartazes de autocuidado, de questionamentos de como superar o nervosismo, de acupuntura sem agulhas, indicação de leitura e cinco oficinas: Caixa das emoções, música relaxante com difusor de aromas e com cromoterapia, jardim sensorial, origami das emoções e frases positivas para automotivação, autoestima e positividade.

   Teve como objetivos:

  • Descobrir nossos sentimentos e nomeá-los como forma de entender a nós mesmos como seres únicos;
  • Estimular maior segurança emocional através da confiança e autoestima saudável, para superar emoções adversas;

 

  • Fortalecer e/ou desenvolver conceitos positivos sobre nós mesmos;

Quando os estudantes foram chegando no auditório, estava tocando música relaxante. Antes de iniciar a leitura do livro, foi realizado exercício de respiração para acalmar a mente e aliviar a ansiedade.

  Durante e após a leitura do livro “Quando me sinto nervoso”, de Trace Moroney, os estudantes foram interagindo, vivenciando o momento, refletindo, percebendo suas emoções e liberando sensações desconfortáveis, através da respiração e também através da técnica de acupuntura sem agulhas. Essa técnica, ajuda a tranquilizar e diminuir a ansiedade. Consiste em dar leves toques em determinados pontos do corpo, para liberar tensões acumuladas do dia a dia.

Os estudantes ficaram curiosos, e praticaram juntamente com a professora as técnicas de relaxamento. Gostaram muito! Tiveram bastante interesse, ficaram tranquilos, calmos e alguns falaram que irão ensinar aos seus familiares.

 Na sequência, a turma foi dividida em cinco grupos, que em rodízio passaram por todas as oficinas. 

Jardim sensorial: Na mesa tinha vários vasos com plantas de espécies diferentes. Ali, era o momento para contemplá-las, observando suas individualidades, formato, beleza, importância, emitindo pensamentos positivos. Alguns remeteram a memória da casa da vó e de sua própria casa.   Foi um momento lindo!

Música relaxante com difusor de aromas com cromoterapia: Neste espaço que foi dentro da Biblioteca, os estudantes sentaram ao redor da mesa e com os olhos fechados, puderam sentir a música, o aroma, a leveza, a tranquilidade e a paz. Em outro momento com os olhos abertos puderam visualizar várias cores para relaxamento. Amaram; muitos não conheciam um difusor de aromas. 

Caixa das emoções: Após toda a sensibilização, nesta mesa os estudantes foram indagados: Tem algo que não está muito bem? Quer desabafar? Tinha disponível papel e caneta para escreverem e depositarem na caixinha das emoções o que achassem necessário. (Sem identificação).   Percebeu-se que alguns estavam preocupados, outros indignados, outros com raiva de determinada situação que estava/está vivendo e também outros que manifestaram muita tristeza. A professora os orientou buscar ajuda com alguém de confiança caso necessário. (Na sequência os relatos foram encaminhados para o setor pedagógico da escola).

Origami das emoções: (Dobradura come-come de papel). Em duplas um perguntava ao outro para escolher uma cor. Na cor escolhida estava uma mensagem de autoestima ou do que realizar, como: respire fundo, você é especial, de um sorriso, espreguice, pense em algo positivo, você é doce, massageie seus próprios ombros. Percebeu-se que alguns ficaram com receio/vergonha de se massagear. (Ciclo II, II e IV).

Frases de motivação e autoestima: Neste local os estudantes fizeram a leitura de várias frases como: Eu posso! Eu sou capaz! Eu me amo! Eu sou feliz! Eu consigo! Eu respeito os outros e me respeito! Eu me cuido! Entre muitas outras frases. Na sequência cada estudante escreveu sua frase de positividade.  Foi montado um mural coletivo com essas frases. (Ciclo II, II e IV).

Para fechar todo este encaminhamento, foi proposto que todos dessem um abraço em si mesmo, repetindo a frase: “Eu me Amo!”. Os estudantes assumiram o compromisso de repassar a seus familiares o que aprenderam. Também de, todo dia olhar-se no espelho e repetir “Eu me amo”. Falaram que adoraram tudo que foi proposto, que poderia ter mais momentos assim na escola, se sentiram leves e tranquilos.  Parte dos professores que acompanhavam as turmas também praticaram as atividades. Foi muito gratificante.

                                                                                          Prof. Sandra Longo.

 

 

Autor: Professora Sandra Longo | Fonte: Escola Municipal Professor Erasmo Pilotto
00440232.jpg
Quando me sinto nervoso.
1/6