Projeto: Eu pinto o Brasil da minha cor!

    Publicado por:  Andreia Luciana Batista

Para comemorar o mês da consciência negra, a professora Luciana Fernandes de Souza, da Classe Especial da Escola Municipal CEI Doutel de Andrade propôs uma discussão acerca da identidade cultural dos seus estudantes, bem como as várias culturas existentes nas regiões de nosso país no âmbito individual, social e coletivo.

Os estudantes foram incentivados a superar preconceitos raciais e culturais, para que se tornem cidadãos críticos que participam do processo social, conscientes de seus direitos e deveres na sociedade com base no respeito mútuo, de forma que a resolução de conflitos se torne mais fácil e que comportamentos discriminatórios tornem-se menos frequentes.

 A proposta metodológica pautou-se em apreciar , valorizar e respeitar a diversidade cultural presente na sociedade em que vivemos, despertando o desejo de conhecer a historia do Continente Africano e suas relações com a nossa cultura, estabelecendo algumas relações entre o modo de vida do seu grupo e outros grupos sociais. Utilizou-se o livro “Lembranças de Baobá” da autora Vanessa Alexandre, onde se viabilizou a leitura de imagem e os estudantes reproduziram por meio de desenhos, levantando hipóteses para fazer a roda de conversa. Propôs-se discussão sobre o conteúdo do livro: se  pessoas das gravuras são  todas iguais?; Quais as semelhanças entre elas?;  Onde vivem essas pessoas?; Pessoas tão diferentes entre si podem conviver em sociedade de forma harmoniosa?; De que maneira?

Foi solicitado que os estudantes trouxessem de casa fotos de seus familiares, a fim de descobrir com quem cada um parece e, posteriormente, montaram um gráfico sobre as diferenças físicas existentes entre eles, como cor de cabelo, cor dos olhos e cor da pele. Na aula de Geografia, a equipe desenhou um grande mapa do Brasil mostrando quão grande é o nosso país. Para atentar-se a valorização e respeito à diversidade, os estudantes experimentaram uma peruca afro, deram depoimentos de como estavam se sentindo, e tiraram fotos, recortando-as e colando-as sobre cada região.

Para finalizar, confeccionou-se um boneco afrodescendente com o miolo do papel higiênico e cabelo de Bombril. Elaborou-se ainda um título para o mapa:  O BRASIL É A MINHA CARA, O BRASIL É A SUA CARA, EU PINTO O BRASIL DO MEU JEITO, ELE TEM A MINHA COR.

Autor: NRE Boa Vista | Fonte: Luciana Fernandes de Souza - CEI Doutel de Andrade
00123157.jpg
Eu pinto o Brasil da minha cor
1/6