Primeiro Encontro Percursos Literários e Culturais nos Faróis do Saber e Bibliotecas!

    Publicado por:  Gizeli de Fátima Cordeiro Bento

Primeiro Encontro Percursos Literários!

O retorno aos encontros presenciais, aconteceu no Memorial de Curitiba no dia 08 de Abril, com o início da formação Percursos Literários e Culturais nos Faróis do Saber e Bibliotecas.

A Gerência de Faróis e Bibliotecas da Prefeitura de Curitiba, dentre outros expedientes de formação dirigidos aos servidores que tem por função levar o universo literário ao público leitor, no ano de 2022 lhes ofertará também vivências de cultura, estendidas para além do estrito campo da literatura. Com isso busca-se o aprimoramento e ampliação do repertório dos agentes de leitura e dos respectivos leitores sob suas curadorias, pois para que o professor possa transformar suas práticas e desenvolvê-las plenamente, o desenvolvimento profissional precisa se pautar em amplas possibilidades e aprendizagem contínua, considerando:

[...] a história de vida e a história profissional como um mosaico de peças únicas e colorido próprio. É uma obra de arte produzida por meio das experiências dos professores ao longo da vida, das áreas que adquiriu maior afinidade, das crenças que permeiam suas ações, dos estudantes que possui, das condições de trabalho, dos recursos tecnológicos que sabe usar, mas, sobretudo, da disposição que possui para aprender e desenvolver-se. (BACILA, 2020, p.11)

 

           O primeiro encontro contou com a presença das Agentes de Leitura das Bibliotecas Escolares e Faróis em Praça, Gestores da Informação das dez regionais, Equipe da Gerência de Faróis e os escritores Deyse Campos e Nélio Sprea.

           Com o objetivo de contextualizar a prática dos Agentes de Leitura, considerando o trabalho desenvolvido com a leitura e literatura e assim concretizar um movimento de Ação-reflexão-Ação, trouxemos a primeira proposta de troca de experiências com a apresentação da Professora Elisandra Cecília Schwanka, do Farol do Saber Machado de Assis.

          Elisandra mostrou de maneira simples e com ótimas dicas como transformar, organizar e atrair o público para o Farol. Primeiro conhecer e se apropriar do espaço para uma boa mediação e auxiliar nas escolhas de leitura. O acolhimento e encantamento, por meio da literatura, se faz por meio de uma prévia preparação das histórias e trazendo convidados para um Bate Papo, rodas de leitura, sarau e/ou contação. A organização desse espaço deve ser convidativo, de maneira a instigar o leitor a entrar e participar das propostas. O acervo deve ser diversificado e organizado de forma funcional, de maneira que os usuários tenham autonomia e sejam protagonistas no uso desse espaço. A visita guiada para mostrar, informar e conhecer o escritor, homenageado, que deu origem ao nome do farol é uma das práticas desenvolvidas.

            No período da manhã, contamos com a palestra da Deyse Campos: Psicóloga, Psicopedagoga, Pedagoga, Consultora escolar, Assessora de Ensino, Analista de Projetos Educativos, Escritora de material didático e de Literatura, Professora, atriz, dubladora e produtora Cultural.

           Iniciou sua conversa falando um pouco sobre, sua nova criação, a Famifaré (Fa de fácil nunca é, Mi de minhoca na cabeça é bom porque fertiliza o solo, Fa de fazer é mais importante que só se queixar, Re de reflexão), uma plataforma para educadores que surgiu na pandemia, através de uma conversa entre três pessoas que amam música, humor e educação. Uma escala de exercícios musical, cuja sonoridade marcante fica na sua cabeça.

          Sua palestra foi cheia de questionamentos e reflexões, onde as respostas nos impulsionam a fazer novas leituras e buscar outras alternativas. Para fazer novas Leituras e se construir como leitor devemos refletir sobre alguns questionamentos: como estamos lendo o mundo? O que temos lido? Lemos apenas para trabalhar com os alunos?

          A maneira como nos portamos diante da leitura é a imagem que passamos para os leitores que queremos formar. A leitura surge da vivência e experiência de cada um. Um bom leitor é aquele que faz conexões com suas vivências, com seus conhecimento de mundo e com outras partes do texto.

        Na sequência, foi ofertado pela palestrante um momento de leitura, onde cada participante escolheu um livro e pode desfrutar e apreciar obras de diferentes gêneros. Em seguida foi ofertado um momento de bate papo e troca das leituras realizadas.

         No período da tarde recebemos o palestrante Nélio Sprea: educador, Produtor artístico e músico, Fundador e dirige a Parabolé Educação e Cultura, é autor de livros, CDs e filmes para crianças. Sua palestra interativa e repleta de jogos e brincadeiras com temas ludicidade, socialização, culturas da infância, cultura escolar, exemplificou de forma criativa a função literária de parlenda, contos, cantigas acumulativas, quadrinhas populares e trava-línguas. Apresentou alguns vídeos do canal da Parabolé – da série Documental AUÊ (episódio Ciranda Cirandinha, episódio extra borboletinha no elástico, episódio Bento Frade, episódio mãe polenta).

 

Autor: Gizeli de Fátima Cordeiro Bento | Fonte: Gerência de Faróis do Saber e Bibliotecas
00344201.jpg
O retorno aos encontros presenciais, aconteceu no Memorial de Curitiba no dia 08 de Abril, com o início da formação Percurso Literário e Culturais nos
1/6