Praça do Japão vira sala de aula para estudantes da escola Foz do Iguaçu

    Publicado por:  Sandra Mara de Lima

Cerca de 30 estudantes da Escola Municipal Foz do Iguaçu, em Santa Felicidade, visitaram nesta quarta-feira (23/8) a Praça do Japão, escolhida de acordo com as temáticas desenvolvidas nas aulas de Ensino Religioso. A ação faz parte do programa Linhas do Conhecimento, que busca ampliar os saberes culturais, artísticos e científicos dos estudantes nos espaços que a cidade possui.

A turma do 3º ano está estudando as religiões orientais, entre elas o budismo, e por isso visitaram a Biblioteca Hideo Handa, situada no bairro Água Verde, acompanhada pela professora Adriana Mello. “Nossa intenção foi mostrar um pouco da arquitetura, das obras de arte, das crenças e da simbologia, as concepções de espaço sagrado e a relação desse espaço com a diversidade religiosa”, afirmou a professora.

A Praça do Japão segue as linhas tradicionais dos jardins japoneses. Possui lago de carpas, 30 cerejeiras enviadas do Japão, cerimônia de chá (às quintas) e biblioteca. O local é considerado a maior referência da cultura dos imigrantes japoneses na cidade de Curitiba.

Logo na chegada, em frente a uma enorme construção temática, estudantes e professores foram recebidos pelas agentes de leitura, com uma contação de histórias. A prática levou os pequenos a realizarem uma leitura da arquitetura e dos simbolismos do espaço, a partir da própria história da praça e dos valores desta milenar tradição religiosa. Ao observarem o espaço, os meninos e meninas da turma puderam perceber como ele é capaz de revelar a história, os conflitos e as crenças de um povo.

O grupo caminhou pelo jardim cercado por lagos, esculturas, cerejeiras (hanami, em japonês), conheceram o espaço de realização da cerimônia do chá e acompanharam a explicação da professora que contou um pouco da trajetória do budismo. “Nosso passeio cultural serviu para aprendermos muitas coisas sobre a cultura japonesa e o que mais me chamou a atenção foi a estátua do Buda e a explicação da professora sobre a água como elemento que representa a vida”, explicou a estudante Milena Lopes, de 7 anos.

O objetivo da aula mediada pelo Linhas do Conhecimento e pela equipe de Ensino Religioso da Secretaria Municipal da Educação foi o de aprofundar a análise sobre os espaços sagrados de diferentes religiões, a fim de perceber suas semelhanças e suas particularidades.

“Este trabalho foi bastante relevante e produtivo, pois os alunos tiveram uma participação bem ativa, e compreenderam os princípios éticos norteadores da vida”, afirmou a professora representante do programa Linhas do Conhecimento, no Núcleo Regional de Ensino de Santa Felicidade, Sandra Mara de Lima.

Autor: NRE Santa Felicidade | Fonte: NRE Santa Felicidade