Plantas que comemos e que não podemos comer

    Publicado por:  Cristiane Fonseca

Observando as crianças na área externa do CMEI, as professoras Tânia e Janete perceberam que os pequenos tinham o hábito de comer flores e folhas das plantas existentes no jardim do CMEI. “Sempre falávamos que essas plantas não eram comestíveis, porém, durante uma roda de conversa, perguntamos sobre as plantas que comemos. Assim percebemos que poucos conheciam sobre o assunto e que tinham interesse sobre o assunto”, explica Janete Ramos da Silva, professora do Pré 2 A.

A professora Tânia K. Coelho Nascimento conta que foi a partir da curiosidade das crianças que surgiu a idéia de desenvolver um projeto sobre o tema. “No decorrer das propostas a turma organizou um cofre, onde arrecadaram moedas para comprar alimentos saudáveis”, esclarece a professora Tânia.

A pesquisa foi marcante para todos os envolvidos, adultos e crianças. Era impossível passar pela sala de atividade e não observar um cenário de pesquisa e exploração, feito a muitas mãos. Foram explorados raízes (batata, cenoura, mandioca, beterraba, cebola e alho), folhas (alface, repolho e cebolinha), frutos (Pepino e abobrinha) e caule (palmito), flores (couve-flor, brócolis, Camomila), sementes (feijão, milho e pipoca). As profissionais trabalharam sobre o uso integral dos alimentos, com bolos feitos com casca de banana, laranja e melancia.

Pelo programa Linhas do Conhecimento as crianças desfrutam de uma aula de campo no Mercado Municipal de Curitiba, onde compraram alimentos saudáveis que desfrutaram juntos. Além de experienciar uma riqueza de odores, cores e relações com os feirantes do espaço.

Autor: Krasinski, CMEI | Fonte: Cristiane Fonseca
00256338.jpg
plantas
1/10