OPERAÇÃO TIRA FOCOS

    Publicado por:  Wallace Kassio de Lima Ramos

As crianças do CMEI Fani Lerner também entraram na luta contra o Mosquito Aedes Aegypti. As professoras desenvolveram atividades para estimular essa prática. Sendo assim, foram estipulados os seguintes objetivos:

- Identificar os conhecimentos prévios das crianças acerca do mosquito Aedes Aegypti;

- Sensibilizar as famílias e comunidade educacional acerca do tema;

- Possibilitar às crianças a troca de experiências, com colegas e família, suas aprendizagens referentes ao mosquito.

Para atingir os objetivos listados, algumas ações foram desenvolvidas:.Confira cada uma por turma:

AÇÕES DESENVOLVIDAS:

BERÇÁRIO II: As professoras confeccionaram placas sobre o cuidado com a dengue, mostraram para as crianças em roda de conversa e em seguida cada criança recebeu uma placa para o passeio no espaço externo do CMEI em forma de passeata.

MATERNAL II: Com as crianças organizadas em roda, as professoras fantasiada de mosquito, apresentaram imagens do mosquito e de seus focos. Em seguida, realizaram a leitura de um texto explicativo sobre a prevenção e cuidado com as doenças. Após a leitura, a professora escreveu a letra da música paródia do samba lelê e depois cantaram e dançaram coletivamente. Também foram confeccionados cartazes com imagens e desenhos das crianças, para posterior passeata dentro do CMEI. Com os cartazes em exposição para observação das famílias, as crianças sempre passam e comentam sobre o assunto.

 

PRÉ I A: Os professores iniciaram a fala sobre a dengue com um vídeo animado explicativo, em seguida, relataram em roda de conversa, o que observaram no vídeo e encerraram cantando a paródia da música samba lelê.

PRÉ I B: As crianças iniciaram o assunto assistindo a um vídeo explicativo sobre cuidados com a dengue. Posteriormente produziram frases relacionadas ao tema, com a professora como escriba. Após a escrita, fizeram desenhos relacionados com as frases e expuseram no corredor do CMEI, sempre tecendo comentários com quem encontravam pelo caminho.

PRÉ II A: As professoras iniciaram o trabalho com um levantamento prévio do que as crianças sabiam sobre a dengue. Em seguida organizaram uma roda de conversa, usando imagens do mosquito como disparador, relacionando o que já sabiam com as novas informações. As famílias foram envolvidas, confeccionando cartazes de alerta ao mosquito juntamente com seus filhos. As crianças fizeram uma busca no entorno do CMEI, arrecadando objetos que fossem possíveis focos e trazendo ao CMEI para classificar os mais perigosos e propensos a se tornar foco. Na sala de atividades, as crianças e professoras confeccionaram cartazes com imagens e desenhos produzidos pelas próprias crianças. Foi apresentado às crianças um gráfico dos casos no Paraná, sendo comentado a respeito das condições climáticas que favorecem à formação de criadouros. As crianças estão sempre relatando o que fazem em casa para limpar seus quintais e, no CMEI, orientam a equipe de limpeza sobre os cuidados que elas devem tomar.

PRÉ II B: As professoras iniciaram o trabalho da dengue com uma roda de conversa com imagens e troca de experiências. Em seguida explicaram sobre o passeio que fariam no entorno do CMEI, arrecadando possíveis focos. Após o passeio, conversaram sobre o que tinham coletado e confeccionaram um cartaz com as informações obtidas. Em pequenos grupos, juntamente com as professoras, as crianças fizeram móbiles do mosquito com garrafa PET, pendurando na porta da sala de atividades. Nos dias de chuva, as crianças já relacionam os cuidados que devem ter com a água que pode ficar parada em poças.

EQUIPE DE PERMANÊNCIA: A partir da paródia da música “A barata diz que tem”, as crianças trocaram experiências sobre o mosquito da dengue e produziram um desenho relacionado ao tema exposto.

As crianças percebem a importância do trabalho com esse tema, bem como integram suas famílias no cuidado, tanto em casa quanto nas proximidades. Como o assunto está em todos os meios de comunicação, as crianças continuam comentando e trazendo novas informações, demonstrando assim que o tema não pode ser esquecido e sim realimentado.

Autor: Fani Lerner, CMEI | Fonte: CMEI Fani Lerner e seu Entorno