O valor do cotidiano e de Ser Professor na Instituição de Educação infantil

    Publicado por:  Ana Beatriz Souza Cerqueira

Inciamos nossa semana com um caloroso bate papo! Nesta segunda-feira dia 18/05/2020, tivemos o segundo dialogo formativo com os profissionais do CMEI Centro Cívico, com a convidada Ms.Patricia Celli da Silva Ribeiro, pedagoga da Rede Municipal de Educação de Curitiba, mãe do Arthur, apaixonada pela infância e pela crianças, atuando neste momento no CMEI Ciro Frare. 

A valiosa contribuição da professora Patricia  e sua generosidade em partilhar, foi imprescindíveis para nós professores. Dialogou sobre o papel docente, do quanto precisamos nos profissionalizar, se apaixonar, se reinventar, se deslumbrar, repensar o cotidiano, nossas ações e o percurso construído com as crianças. Que a documentação pedagógica enquanto estrategia pode validar esse processo, e o quanto é importante o registro escrito, fotografado, filmado ou materializado pelas crianças. Estes observaveis nos dão uma direção enquanto profissionais, eles sinalizam sobre o trabalho docente e o interesse das crianças se devemos avançar em uma determinada proposta ou não.

Outro ponto de destaque para pensarmos é sobre a criatividade das crianças e na capacidade que as mesmas têm em aprender, compreender as coisas em sua volta e o quanto são competentes. Patricia ressaltam o quanto as crianças são potentes, em seus pensamentos tem a capacidade de analisar, pensar e solucionar problemas (brincadeiras, conversas, jogos, experiências, conflitos). Também produzem ciência o tempo inteiro em suas experimentações e investigações (exemplo: encontrar um inseto no jardim e falar sobre ele, vão dar opiniões, hipóteses, tocar, sentir, cheirar e explorar). 

Neste contexto o papel do adulto para possibilitar e garantir a criança imaginar e criar, sua curiosidade, que não é necessário o tempo todo trazermos informações a elas, mais aprendermos à aprender com elas. Entender e proporcionar às crianças momentos de descobertas, imaginação, criatividade e nas inúmeras tentativas que elas fazem até descobrirem algo. Enquanto isso nós professores, precisamos buscar uma educação sensível, intuitiva, para sentir, pensar e interpretar o mundo e a complexidade da criança e das relações para fazermos do nosso dia a dia uma educação mais humana pensando e respeitando o tempo a criança, suas necessidades e possibilidades.

Finalizamos nosso dialogo trazendo uma fala da Patricia a qual diz que para Pacheco (2012. P 11) o maior valor de um educador é saber ser, saber desaprender, saber enxergar o outro... O processo de aprendizagem é uma relação que precisa que ambos os lados acreditem e confiem no outro... Acreditar.... Essa palavra define a ação docente.... Acreditar que a criança é potente.... Acreditar em mundo melhor.... Acreditar que suas ações transformam a vida de uma criança...

                                                            “A educação muda as pessoas e pessoas mudam o mundo” (Paulo Freire).

Agradecemos imensamente a professora Patricia pela generosidade em partilhar e por enriquecer a nossa manhã de segunda feira e a esse grupo competente do CMEI que se põe a refletir a prática, o cotidiano, e o que faz uma educação mais honesta e de qualidade para todos. Agradecemos a Equipe Mz e SME por estar conosco nesta caminhada. A  nossa diretora Ana Beatriz Cerqueira e a pedagoga Ana Fukaya que estão sempre nos proporcionando momentos de estudos e reflexões!

Autor: Marcia Cristina Luciani | Fonte: CMEI Centro Cívico
00276991.jpg
Dialogando sobre o valor do cotidiano e do Professor na Educação Infantil
1/5