O Rosto da solidariedade

    Publicado por:  Caroline Kupczki Krezko

O ROSTO DO CMEI DR ERALDO KUSTER, SE TRANSFIGUROU, SEM PERDER A SUA ESSENCIA, ASSUMIU NOVOS CONTORNOS:

O ROSTO DA SOLIDARIEDADE.

Neste dia 15 de maio o CMEI Dr. Eraldo Kuster abriu as portas as famílias das crianças matriculadas no CMEI para a entrega dos Kits Alimentação, trazendo ao papel da educação novos e importantes contornos, na dimensão de cuidar e educar indissociável e de forma integral. Em tempos de pandemia pela COVID 19, com as crianças em isolamento social, as ações de cuidados e de educação se estenderam para dentro da casa da criança.

Os novos contornos proporcionaram um dia totalmente diferente de todos os outros dias já vividos dentro da unidade. 

Tudo bem que os dias nunca são iguais, mas há uma regularidade nas razões para as quais existimos enquanto instituição, no nosso caso, educacional.

Quando cheguei a unidade, 7hs, o caminhão da Risotolândia, nossa parceira, já estava lá. Quanto a esse cenário não foi diferente. Normalmente a Risoto começava sua entrega pelo Eraldo Kuster. Tá certo que nas outras ocasiões, já teria, uma professora e outra, famílias, que começavam trabalhar bem cedo e já se antecipavam para assim que desse o horário, já deixar sua criança e correr ao ponto de ônibus para trabalhar.

No entanto, ao invés de café da manhã, que já chegava pronto a ser consumido pelas crianças, chegou em forma de alimentos essenciais, arroz, feijão, leite, frutas, legumes...

E foi pensado, cuidadosamente em cada detalhe da alimentação saudável e na saúde da criança. As crianças com intolerâncias, alergias, os alimentos vieram diferente, de acordo com a dieta da criança.

Só, as crianças não estavam lá para receber; nem deu para diminuir um pouquinho as saudades. Elas não podiam ir, ficaram em casa, bem protegidas dessa COVID, que não quer nos deixar.

Tudo bem, que teve algumas crianças que até foram; a família não tinha com quem deixar; mas devidamente paramentadas, com suas máscaras assim como as famílias.

Parabenizo as famílias; foram todas protegidas com máscaras e se portaram muito bem, em relação ao distanciamento social, higienização das mãos e no cuidado ao retirar os alimentos.

Voltemos as crianças, elas estavam ansiosas para receber algo do CMEI, desse ambiente que elas gostam tanto. As frutas mal chegaram em casa, as famílias tiveram que higienizar para criança já comer, as famílias enviaram lindas fotinhos, nos grupos de whatsapp, das crianças já comendo as frutas.

Sim, tudo que vem do CMEI é mais gostoso. Esse é um fenômeno que sempre acontece, as famílias, perguntam como vocês conseguem e nós não...

São os mistérios de uma linda relação, diferente daquela do ambiente doméstico. Ambas estão cercadas de afetos, mas com diferentes papeis, que acontecem naturalmente em um ambiente e no outro; até os bebês percebem...

Muito embora o CMEI Dr. Eraldo Kuster assumiu novos contornos em seu rosto, não vamos abrir mão, jamais da nossa razão primeira, educar, está certo que a forma em que foram construídos os Kits de alimentos, eles aconteceram pedagogicamente, o cuidado nutricional é dimensão educacional e pensando nesse cuidar e educar indissociado, com os alimentos foi enviado pelas professoras, as crianças umas coisinhas educacionais.

Quem realizou a entrega foram as professoras, elas não precisavam estar lá, mas fizeram questão de estar no CMEI, nos horários da entrega dos Kits as famílias de sua turma para um oi, para saber das famílias, ainda que meio de longe pelo distanciamento social, como as crianças estão e enviar um recadinho e a partir da concepção de criança, do contexto em que ela vive, tendo como foco a interação e a brincadeira e enviar algo que poderiam se tornar-se experiências significativas.

E deu muito certo, nos grupos de whatsapp das turmas, além das muitas imagens, áudios e vídeos das crianças, agradecendo, dizendo do quanto gostaram; comendo as frutas recebidas, vieram, imagens das crianças interagindo, brincando, experienciando com os materiaisque receberam e as atividades complementares (Prés).

Fato, as crianças foram urgentes nas respostas, sejam comendo as frutinhas e interagindo com os materiais recebidos, não só pelo significado do objeto em si, mas pelo significado da mensagem de quem enviou; porque é urgente diminuir as saudades e se religar, reconectar ao CMEI, as pessoas e aquele ambiente onde as crianças ficam tão bem e gostam tanto.

Até mesmo as turmas de bebês não chegaram a frequentar, o elo já está sendo construído, nas interações no grupo de whatsapp e as professoras aproveitaram a entrega dos Kits para conhecer as famílias com as quais conversam pelo whats e enviaram objetos sensoriais e outras coisinhas aos bebês. A família nessa construção de vínculo já está fazendo diários sobre os bebês, que serão grandes aliados ao acolhimento quando enfim pudermos estar no CMEI, todos/as juntos/as, as crianças, a equipe do CMEI e com as famílias, que com certeza estarão bem perto. De tudo que estamos vivendo, podemos dizer que o vínculo com a família, esse está bem estreito, talvez nunca caminhamos em “passos” tão “compassados”, harmoniosos... 

O que dizer de tudo isso, não podemos achar que vivemos um momento ideal, mesmo porque não é, mas estamos conseguindo estar próximos/as das crianças, das famílias e diariamente saber delas e saberem de nós e assim acompanharmos o cotidiano das crianças dentro de casa.

Agradeço as professoras, que fizeram questão de estar nos grupos de whatsapp, de sua turma e que voluntariamente se organizaram, devidamente protegidas estiveram no CMEI nos horários da entrega dos kits de suas turmas e foram elas que fizeram a entrega; até aquelas que estão no grupo de riscos gostariam de estar presente, né Mel, só que não... No entanto, junto com a pedagoga planejaram com as colegas os acontecimentos do dia;

Agradeço a Suzi que esteve o dia todo e também as profissionais da Delta Limp pela dedicação de sempre.

Agradeço a prefeitura que em parceria com o Governo Federal proporcionaram esses alimentos as famílias; as nutricionistas da prefeitura, o Núcleo de Educação do Pinheirinho que não medem esforços em nos apoiar, os profissionais da Risotolândia que fizeram inúmeras idas e vindas do caminhão ao CMEI para carregar todas as cestas.

Agradeço as famílias que têm sido grandes protagonistas a fim de possibilitar que nossas crianças continuem protagonizando.

Quanto aos contornos do rosto do CMEI Dr. Eraldo Kuster, com certeza, todos os sujeitos que participaram e participam dessa história, eles estão transfigurados na solidariedade...

Autor: Ivete Bussolo | Fonte: Ivete Bussolo
00275981.jpg
Entrega dos Kit Alimentação
1/64