O mês de maio nos Faróis do Saber em Praça e Bibliotecas Temáticas foi incrível!

    Publicado por:  Gizeli de Fátima Cordeiro Bento

O mês de maio nos Faróis do Saber em Praça e Bibliotecas Temáticas foi incrível!

            A programação cultural, do mês de maio, foi intensa e diversificada ao público que frequentou os 09 Faróis do Saber em Praça e as 03 Bibliotecas Temáticas da Secretaria Municipal da Educação.

            As ações contaram com a participação da comunidade, Escolas Municipais e Estaduais, abrilhantando e garantindo o sucesso. Puderam apreciar rodas de leitura, oficinas diversas (parceria com o Programa Comunidade Escola), histórias e poesias na Praça, “Hoje é dia feira”: barraca de leitura, varal de poesia, chá Literário, história para crianças pequenas, piquenique literário: livros na praça e contações de histórias japonesa e chuva de poesia. O momento do conto de mistério: crônicas de Stanislaw Ponte Preta (o conto do mistério uma narrativa que provoca no leitor suspense, tensão e que, em geral, apresenta um final inesperado. Quando essa temática envolve seres sobrenaturais temos uma variação que são os contos de assombração).

            Também no mês de maio, aconteceu a roda de conversa: “O diário de Anne Frank”, com Professora Maria Rita de Cassia Fiatte, aos estudantes, do Ensino Médio, do Colégio Estadual São Pedro. “Apresentação da vida e obra de Annelies Marie Frank foi uma adolescente alemã de origem judaica, vítima do Holocausto. Tornou-se uma das figuras mais discutidas da história após a divulgação póstuma do Diário de Anne Frank, livro que narra os dois anos que ela e sua família passaram dentro de um esconderijo para tentar escapar de perseguição nazista durante a Segunda Guerra Mundial.” O diário de Anne Frank foi escolhido para a discussão pois oferece a oportunidade de tirar lições do passado nestes tempos difíceis que vivemos. “Não é apenas no momento de desarranjos internos que os livros servem de auxílio, mas também quando acontecem crises que afetam um grande número de pessoas...”

Em alusão ao dia Internacional da língua portuguesa, foi ofertado a visita virtual ao Museu da Língua Portuguesa. https://www.museudalinguaportuguesa.org.br

As tradicionais Contações das histórias envolveram os leitores durante todo o mês de maio. Já no “Tour aos Faróis”, os visitantes conhecem a história de cada patrono.

A hora do conto com as bruxas do Bosque Alemão, sempre muito procurada pelos turistas, foi cheia de encantamentos e descobertas.

O projeto Bate – Papo com autor contou com autores Paranaenses. O objetivo foi disseminar conhecimentos sobre a produção editorial, por meio da explanação de autores curitibanos ou radicados na cidade; enaltecer as possibilidades de formação literária e cultural para o público docente e agentes de leitura dos Faróis do Saber e ofertar atividades de fruição literária aos professores da Rede Municipal de Ensino.

A roda de conversa com a escritora e socióloga Danielle Rech trouxe para a discussão a mulher e a maternidade! Uma tarde de diversas reflexões, principalmente sobre as cobranças da sociedade perante a maternidade e o estreitamento de laços entre a comunidade.

A roda de leitura: Clarice Lispector – Projeto Viva Clarice! 100 anos – com Diamila Medeiros da Fundação Cultural, apresentou a análise e discussões sobre obras de arte da Clarice. Análise do nome com as obras pintadas. Tarde de muita reflexão e aprendizado.

A Roda de leitura e apreciação de poesias com a poetisa e artista plástica Laura Monte Serrat Barbosa contou o seu percurso na poesia e pintura. Momento de leitura e encantamento pelas obras da autora. A exposição “As Cores do Silêncio” – Laura Monte Serrat – trouxe um delicado e colorido olhar sobre as relações e reações humanas durante a pandemia. Ficou para a apreciação de todos, durante o mês de maio, no Farol do Saber Gibran Khalil Gibran.

O bate-papo foi muito descontraído e cheio de poesia, conhecendo um pouco mais da vida e trajetória do professor, poeta e escritor Juarez Poletto, uma tarde cheia de poesia e história de vida. Com mais de 20 livros publicados, intercalando suas produções entre livros acadêmicos, prosa, poesia e infantil, apresentou algumas das suas publicação, falou sobre as inspirações para a escrita de cada uma e presenteou, encantando e emocionando, todos os participantes, lendo algumas de suas poesias.

A roda de conversa com Ariane Hidalgo, curitibana, poeta, professora e mestre em Letras, autora da obra de poesia “Quase sábado” (Kotter editorial,2022), demonstrou a paixão pela literatura, pelos versos que lançam um olhar sobre o cotidiano, o feminino, as lutas, belezas e mazelas da alma. Volta e meia se aventura na escrita de contos, participa de clubes de leitura e é uma entusiasta da produção literária contemporânea. A autora apresentou sua obra recém lançada, falou a respeito do seu processo criativo, sobre as suas referências artísticas e literárias, como Curitiba reverbera em sua obra e também, sobre a presença do feminino e das mulheres em sua escrita. Para abrilhantar esse momento, Juliano B. da Silva (pianista) tocou um programa com músicas clássicas, que na acústica, do FS Gibran Khalil ficou de uma beleza imensurável. A participação do público fez o momento extremamente dinâmico, com perguntas e questões relevantes ao bate-papo. Um dos participantes ressaltou que FS Gibran tem sido um verdadeiro Oasis e que já colocou em sua rotina dos sábados, trazer sua filha para emprestar livros e ter acesso a diversidade cultural ofertada, segundo suas palavras “é de valor inestimável”.

O projeto “Viva Clarice” – em comemoração aos cem anos de Clarice – teve uma oficina ministrada pela escritora Lylian de Souza, onde falou sobre os modos de leitura (práticas da leitura literária), contações de história / a hora do conto e as leituras silenciosas sustentável – que em algumas escolas acontece a pausa de 10/15min para a leitura, onde a escola inteira para ler (incentivando o hábito de leitura). A abordagem dos temas foi fazendo ganchos com as obras da Clarice. Outro momento marcante foi a leitura e discussão de alguns contos de Clarice.

Abordando a diversidade dos povos que compõe o Brasil, houve o bate - papo com o escritor indígena, Olívio Jekupé – índio Guarani nascido no Paraná, – com 17 livros, entre elas: “O saci verdadeiro”, “A mulher que virou Urutau”, “O presente de Jaxy Jaterê”, entre outros. A conversa foi sobre algumas de suas obras e a necessidade da escrita e divulgar a cultura e conhecimento do seu povo.

Na Parada Literária online a conversa foi com Paula Giannini carioca, dramaturga, roteirista, contista, atriz e produtora cultural. Entre suas obras mais conhecidas encontra-se a comédia teatral Casal TPM, espetáculo de Teatro que já foi assistido por mais de 1 milhão pessoas. Como autora, transita em vários universos: para crianças escreveu Se essa rua fosse minha – Espetáculo de brincar – Ed Bambolê 2017, selecionado pela FNLIJ para o catálogo Bolonha, representando o Brasil na maio feira do gênero no mundo. Em 2018, foi selecionado para o PNLD Literário e em 2019 para o Minha Biblioteca SP. Seu livro Pequenas Mortes Cotidianas – Ed Oito e Meio 2017 – foi finalista nos Prêmios Guarulhos e Oceanos de Literatura. Em 2018, lançou Uma Estrela me Contou, História da Arte para crianças, Editora Bambolê. Em 2019, lançou Como a vida - Ed Patuá e De Esperança, Suor e Farinha, que mereceu o prêmio Dramaturgias.

Paula falou sobre sua trajetória como escritora, sua peça e a vivência de teatro e outras artes além da escrita. No seu livro infantil “Zumi Barreshti – Sopa de Pedra”, fala sobre a amizade e da cultura cigana (os ciganos são um dos povos formadores da identidade cultural brasileira, porém, pouco se sabe da cultura, língua, costumes e riqueza da tradição oral). Contou como foi sua pesquisa para a criação do livro e o contato com o povo cigano. Uma conversa muito esclarecedora, enriquecedora e de muito aprendizado.

Outro momento marcante do mês foi a Semana Literária e Cultural no Farol das Cidades. Tour no Farol conhecendo a história desse território da cidade Educadora, bem como apresentando a vida e obra do artista Guida Viaro, vivenciando a arte nas estações: linha do tempo, família, experiências artísticas.

Encantamento e diversão, foi o objetivo da contação de história da Rapunzel por Andrea Zambelli.

Em homenagem ao dia das mães muitas ações foram realizadas: roda de leitura, café literário, chá com poesia, oficinas diversas, brincadeiras, cartões (lápis na mão e uma escrita que vem do coração).

Autor: Gizeli de Fátima Cordeiro Bento | Fonte: Gerência de Faróis do Saber e Bibliotecas
00352512.jpeg
A programação cultural, do mês de maio, foi intensa e diversificada ao público que frequentou os 09 Faróis do Saber em Praça e as 03 Bibliotecas Temát
1/40