Mulheres de Curitiba Trançando e Traçando Histórias

    Publicado por:  Dayanne Fabrili Gomes de O. Adams Evangelista

No último dia 21 de março, quinta feira, ocorreu no CMEI Vila Osternack o evento: "Mulheres de Curitiba Trançando e Traçando Histórias" com o objetivo da valorização das mulheres da comunidade.

O evento foi organizado pela comissão de Direitos Humanos da Unidade. A data foi marcada pela grande participação das mulheres: mães, avós, tias, irmãs e profissionais. Como a própria temática sugere, uma série de dinâmicas para valorização da mulher foram propostas: o espaço foi todo preparado para a valorização da estima feminina, com echarpes, lenços, maquiagens, bijuterias e esmaltes. Um estúdio fotográfico foi montado para tirar fotos, com um cenário todo pensado para a temática, tendo aos fundos  jornais remetendo ao fato da mulher fazer parte da história. Ainda foi lido um texto para reflexão, com um questionário a ser preenchido por elas que contava uma pouco de sua biografia.

Este questionário, após preenchido, compôs o restante da dinâmica da tarde e fez parte da grande trança que foi construída coletivamente, simbolizando o trançar e traçar histórias.

Ainda, para o evento foram convidadas duas mães para trançar os cabelos das mulheres: Nancy (Haitiana) e Sandra (Angolana), que fizeram lindas e belas tranças da cultura africana, e uma mãe, Zilda, que faz parte da Comissão do CMEI, trouxe uma fala motivacional para as mulheres.

Ao término do evento as mulheres reconheceram-se como lindas e especiais, dotadas de histórias únicas e conhecedoras de seus direitos. Suas histórias ficaram registradas por meio da fotografia e da escrita. Cheias de poses, echarpes, maquiagens e penteados, a valorização feminina esteve em alta. A mãe da criança Emanuely do Maternal II, Denilva, se pronunciou dizendo:"Amei o dia da mulher. Obrigada meninas pela linda homenagem a todas nós".

O tema foi lançado pela Gerência de Educação em Direitos Humanos (CEFAR) onde cada CMEI possuía autonomia para adequar a proposta de acordo com sua realidade institucional. O CMEI Vila Osternack ressalta a importância de valorizar o papel da mulher na sociedade, e que ainda existem muitos outros temas a respeito dos direitos humanos que devem e serão abordados no CMEI no decorrer do ano, visto que como instituição educativa, desempenha forte papel na sociedade.

Autor: Vila Osternack, CMEI | Fonte: Dayanne Fabrilli Adams Evangelista