Literatura 2018

    Publicado por:  Débora Silva da Veiga Pereira

No CEI David Carneiro as aulas de Literatura são realizadas com bastante frequência na Biblioteca.  O prazer pela leitura é o objetivo principal que pauta as referidas aulas; portanto, é oportunizado aos estudantes o acesso aos livros para leitura na Biblioteca ou em sala de aula.

Nos meses de junho e julho o tema “Copa do Mundo” tomou conta das aulas e foram trabalhados dois títulos alusivos ao futebol. Um dos livros foi “A DECISÃO DO CAMPEONATO” da autoria de Ruth Rocha, e o outro livro foi “O TIME” de Tenê. Ambas as histórias apresentam o empenho, a dedicação e o esforço individual e coletivo para se alcançar um objetivo ou uma meta.

Como professora de Literatura de todas as turmas da Escola, tive o prazer de compartilhar uma experiência vivenciada há muitos anos atrás, quando tive a oportunidade de conhecer e abrigar por um tempo em minha casa uma jovem que deixava sua casa no interior de Santa Catarina para ingressar numa escola de Futebol e  tornar-se goleira da Seleção Brasileira Feminina de Futebol, atuando como goleira por quase 10 anos e trazendo muitos títulos ao Brasil.

A história de vida da goleira Maravilha é comovente e de superação, pois passou por muitas dificuldades financeiras até alcançar seus objetivos. Um dos relatos é a história da chuteira rasgada. Ao fazer o teste para ingressar na Escola de Futebol, sabia que com a chuteira em más condições não passaria no teste para jogadora. Como não tinha dinheiro para comprar uma nova, fez o teste para goleira e foi admitida. Mesmo após ser contratada por um time, ainda trabalhou de empregada doméstica por um tempo para poder se manter, pois infelizmente, segundo relato da própria goleira, a remuneração para uma jogadora de futebol é muito inferior à do jogador.

São histórias assim que aproximam os estudantes de situações que podem estar bem próximas a eles.

Outro tema trabalhado foi alusivo à festa junina. Neste ano, a ênfase foi dada às Bandeirinhas Juninas. Buscou-se aspectos culturais e históricos da origem das mesmas e, de acordo com a pesquisa,  os lusitanos foram os que  trouxeram para o Brasil a tradição de comemorar os dias dos santos populares (Santo Antônio, São João e São Pedro) “Esses apetrechos (as bandeirinhas) surgiram porque os três santos homenageados na festa tinham suas imagens pregadas em bandeiras coloridas e imersas em água, a famosa lavagem dos santos. Com isso, acredita-se que a água fica purificada, fazendo a purificação das pessoas que se molham com elas. Com o passar dos anos, essas bandeiras foram sendo substituídas pelas bandeirinhas menores, que trazem a mesma simbologia de purificar o ambiente da festa”. https://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20110803124037AA21ZDL

Como atividade de culminância das respectivas aulas foi solicitado aos estudantes que criassem modelos de camisetas para os jogadores da Seleção Brasileira e foram elaborados três estandartes com bandeirinhas juninas desenhadas, e com a imagem dos santos, fazendo alusão às comemorações históricas que deram origem às festas juninas que hoje são praticadas no Brasil.

Professora Ane – Literatura 2018

Autor: CEI David Carneiro, EM | Fonte: Professora Ane
00182518.jpg
literatura
1/9