Lendas, Tecnologia e História- 6ºs anos do CAIC Bairro Novo visitam o Museu Paranaense

    Publicado por:  Patricia da Rosa Molina Treufeldt

Mitos e lendas são usados pelos homens para explicar muitas coisas desde o início da Humanidade. Hoje na Página do CAIC Bairro Novo vamos conhecer o trabalho da professora Maúna Dialucci Caldeira Lacerda  com os 6ºs anos A,B e C, acerca das lendas. A professora de Língua Portuguesa tem 23 anos de magistério e há 13 anos está no CAIC. De forma muito especial a professora trabalha com as suas turmas que tem vários estudantes de inclusão.

Após trabalhar os mitos da Grécia Antiga, a professora iniciou a abordagem pedagógica das lendas. Os estudantes conheceram algumas lendas mundiais (inclusive da África e do Japão)  na sequência, lendas brasileiras (pinçadas do folclore nacional)  e logo após, se aprofundaram nas lendas paranaenses , de origem indígena como a Lenda das Cataratas, Lenda do Véu da Noiva, entre outras e a curitibaníssima lenda da loira fantasma. A pesquisa foi feita em livros do acervo da professora Maùna, em sites da internet (os alunos da professora estão habituados ao uso das tecnologias e a pesquisa em sites), e no jornal Gazeta do Povo. Nossa escola participa do Projeto Ler e Pensar e os estudantes tem disponível a leitura diária do jornal. Inclusive a professora sugere o site da Gazeta do Povo,como uma fonte interessante para a pesquisa das lendas regionais.

O gênero lendas,está inserido nos conteúdos de Língua Portuguesa do 6º ano e a professora Maúna trabalhou não só a  produção de textos, mas também o uso adequado do discurso direto e indireto, substantivo e adjetivo. Além disso, o encaminhamento metodológico da professora, promovendo debates sobre as lendas, propiciou o desenvolvimento do trabalho coletivo, argumentação e raciocínio lógico. No debate sobre a Lenda do Negrinho do Pastoreio , as turmas se dividiram entre defensores do personagem principal e do dono da fazenda. Os estudantes pesquisaram sobre a lenda usando a internet (utilizada pela professora como aliada pedagógica), elaboraram as questões que seriam lançadas ao grupo divergente e em conjunto analisavam-nas e assim  como nos debates eleitorais se preparavam para a réplica e a tréplica. Acompanhem nas fotos a disposição especial da sala de aula para os debates que funcionaram com regras criadas pelos próprios estudantes. Durante essa etapa do trabalho todos os estudantes foram envolvidos e mesmo aqueles com dificuldades no registro escrito participaram ativamente do debate, pois trabalharam em equipe com os demais colegas.

Após estarem  preparados e com conhecimento, a professora Maúna levou os estudantes ao Museu Paranaense. Saiba mais sobre o Museu aqui e visite a FanpageAs turmas foram acompanhadas pela professora de Arte Fernanda  Maciel, da professora corregente de Língua Portuguesa, Lindamar Eusébio dos Santos e da inspetora Adriane Carneiro.

A visita dos nossos estudantes foi monitorada e a professora Maúna solicitou a adequação da linguagem dos monitores para que fosse mais didática e de fácil entendimento para todos os estudantes, inclusive os de inclusão. Seu pedido foi atendido e os estudantes aproveitaram ao máximo a visita ao Museu. Todos puderam tirar fotos com seus celulares e máquinas fotográficas para registrarem tudo o que mais lhes chamava a atenção. Mais um exemplo da utilização pedagógica responsável da tecnologia . A inspetora Adriane  contou a Página do CAIC que já tinha ido outras vezes ao Museu, mas que cada vez que vai ,observa coisas diferentes. Adriane destacou a interação dos estudantes com o espaço do Museu “ os alunos estavam muito interessados fotografando e aprendendo.”

A Página do CAIC conversou com os estudantes Lorena Gabrielle A. dos Santos 6ºA, Gabriel Elias Correia e Layane dos Santos do 6ºC e Vìtor Backes de Melo do 6ºB que animadíssimos contaram sobre a experiência que tiveram aprendendo sobre as lendas;

“Adorei participar dos debates, é uma atividade muito legal onde as pessoas podem falar sua opinião e não só escrever” colocou Lorena Gabrielle, que pela primeira vez foi ao Museu Paranaense e ficou encantada com os instrumentos musicais  antigos que viu.

 Gabriel Elias destacou a atividade do debate em sala de aula. Para ele “a lenda do Negrinho do Pastoreio  é como na vida real, a pessoa faz algo errado mas pode se arrepender e pedir perdão “ assim como fez o dono da fazenda que havia maltratado o jovem escravo. Gabriel foi um dos mais entusiasmados com a visita ao Museu e fez questão de registrar tudo o que gostou, principalmente a exposição sobre o Japão.

A estudante Layane colocou que adorou trabalhar com o tema desde o início quando a turma assistiu ao filme Pierce Jackson e o Ladrão de Raios que mostrava os mitos da Grécia Antiga.. Animada e muito orgulhosa Layane mostrou seu caderno de Língua Portuguesa com as atividades de pesquisa sobre os deuses gregos. Layane destacou muita coisa interessante que viu no Museu como as maquetes das primeiras vilas ( que sempre cresciam em volta das Igrejas), espadas, os vestuários antigos, os canhões etc...

Para o estudante Vitor, os debates sobre as lendas foi o ponto alto, “nos debates a turma participa mais e pode expressar suas idéias”. Apaixonado por História, Vitor destacou as cédulas antigas, os navios, canhões e maquetes que viu no Museu.

A visita também contou com  um piquenique na bela área verde do Museu. Ao retornarem a escola, os estudantes  realizarem um feed back da atividade registrando no caderno. Acompanhem nas fotos desse post as etapas desse trabalho e as atividades nos cadernos dos estudantes entrevistados.

Para a diretora do CAIC Neiva do Prado Leão  "a visita ao Museu Paranaense é muito interessante  e constitui um complemento importante das atividades em sala, pois muitas vezes os estudantes não são levados pelas famílias a esse tipo de local".

Conhecimento, cultura, História, valorização da cultura local, uso pedagógico da tecnologia e protagonismo juvenil se contituiram em marcas do complexo trabalho pedagógico realizado pela professora Maúna com as turmas dos 6ºs anos. Parabéns professora e estudantes!

Se você gostou desta notícia ou de outra postada aqui na Página do CAIC Bairro Novo é só clicar no ícone na rede social que você utiliza ao final da postagem para compartilhá-la. A educação pública  de qualidade agradece!

 

 

 

Autor: Patricia Molina Treufeldt | Fonte: Maúna Dialucci Caldeira Lacerda
00051619.jpg
mauna
1/20