Júnior Palioto: uma lição em forma de urso

    Publicado por:  Adriana de Lima Goncalves

Em Curitiba, na Escola Municipal Ditmar Brepohl há mais de 10 anos o Júnior Palioto, um ursinho de pelúcia, faz a alegria de professores, alunos e familiares de toda a comunidade. Mas a pergunta é: Por quê? Afinal existem tantos ursos e qual o motivo desse ursinho ser assim tão importante?

O Júnior nasceu da ideia da professora Cleuza Palioto em conversas com sua filha. As experiências com a alfabetização, com as séries iniciais do ensino fundamental e a preocupação com a transição da educação infantil para o 1º ano levaram a educadora a pensar em uma estratégia que ligasse todos esses elementos e pudesse despertar o interesse das crianças. Com todos esses ingredientes, muito carinho, paciência, determinação e amor o Júnior foi gerado, cuidado e amado.

Dentre as muitas aventuras desse ursinho, podemos dizer que ele é viajado, pois já foi para São Paulo e para as Cataratas do Iguaçu. Ele também não deixou de lado sua vida intelectual, pois além de frequentar as séries iniciais do Ensino Fundamental, já visitou a UFPR (Universidade Federal do Paraná) e o pessoal do Curso de Terapia Ocupacional, onde fez amizade com a macaca Chica, com quem mantém contato até hoje. O Junior também cuida do meio ambiente, durante algumas viagens escreveu cartas para as crianças contanto suas observações e alertando-as para que preservem a natureza e os recursos que possuem com muito cuidado.

Desde que foi introduzido no cotidiano das crianças, Júnior passou a ter uma vida, identidade e a se desenvolver em grupo com os demais. O que isso significa? Quer dizer que ele ganhou e conquistou sua vida. A partir da primeira vez que ele foi levado a escola, as crianças começaram a perguntar quem era e se envolver com ele. Criou-se, então, a possibilidade de que ele, o Júnior, pudesse passar alguns dias com alunos, professores, estagiários, funcionários e outros membros da comunidade. Por exemplo, a professora Vandréa, que atualmente faz parte da equipe Ditmar, em 2009, quando era estagiária, levou o Júnior para passar um tempo em sua casa com seu marido e seu filho, Henrique. Além dessas histórias, um aluno, o Pedro, em 2005 quando estava na Educação Infantil cuidou do Júnior e 11 anos depois, em 2016 voltou para reencontrar o ursinho e a professora Cleuza, com quem tem contato até hoje. De tudo isso, fica a certeza de que o Júnior já marcou presença na história de muitas professoras, funcionárias, alunos, pedagogas e diretoras não apenas do Ditmar, mas de outras cidades, espaços, lares e escolas!

Autor: Ditmar Brepohl, EM | Fonte: Fonte: Professoras Cleuza Palioto e Sarah Roza