Inauguração da Biblioteca Escolar Chloris Casagrande Justen

    Publicado por:  Paulo Henrique Machado

A coleção de livros preferida do estudante Izabela Zwaricz, de 9 anos, da Escola Desembargador Marçal Justen, no Água Verde, agora tem lugar de destaque. Foi organizada em uma das estantes da nova Biblioteca Escolar Chloris Casagrande Justen, inaugurada na manhã desta quarta-feira (20/04) pelo prefeito Gustavo Fruet. Com acervo de aproximadamente 3 mil exemplares, a biblioteca é a 194ª unidade da Rede Municipal de Bibliotecas Escolares e servirá para ampliar a pesquisa e atividades de incentivo à leitura desenvolvidas com os 400 estudantes das turmas do ensino fundamental.

A biblioteca tem 269,94 metros quadrados e foi construída ao lado da nova sala de informática da escola. O investimento na obra foi de R$ 592.838,38 e incluiu outras melhorias, como a a cobertura do pátio onde acontecem atividades multidisciplinares e uma passarela coberta, com novas calçadas e rampas de acesso, de acordo com as normas de acessibilidade. “Minha escola ficou ainda mais bonita e a biblioteca está cheia de livros que eu adoro, como os da escritora Ruth Rocha”, disse Izabela.

A biblioteca da Escola Desembargador Marçal Justen é a nona inaugurada nesta administração municipal. Também ganharam novos espaços as escolas municipais Pilarzinho, Nansyr Cecato Cavichiolo, Hamiltom Calderari Leal, Vila São José, Professor Brandão e Leonor Castellano, além das Gibitecas Alceu Chichorro (CIC) e Jardim Pinheiros (Santa Felicidade),  Outras três estão em obras nas escolas municipais Theodoro de Bona, Mirazinha Braga e Miguel Krug.

Aos estudantes, profissionais da escola e moradores da região que acompanharam a inauguração, Fruet destacou o fato de o Município priorizar 30% do orçamento para a educação. “Mais do que obras físicas, o que está por trás desta decisão administrativa é a reformulação de carreiras, com a valorização dos servidores, a expansão do atendimento na educação infantil em período integral e projetos como o Equidade, que tem garantido a melhoria no desenvolvimento escolar dos estudantes”, disse.

Além da construção e implantação de novas bibliotecas escolares, os investimentos voltados as ações de incentivo à leitura, explicou a secretária municipal da Educação, Roberlayne Borges Roballo, incluem a criação das Gibitecas Alceu Chichorro  e Jardim Pinheiros, além de aquisição de acervos, formação continuada para os agentes de leitura e revitalização de 11 Faróis do Saber em praças que funcionam como bibliotecas públicas nos bairros. Somente nos Faróis do Saber, o investimento foi de aproximadamente R$ 1 milhão.

“Os investimentos aplicados em obras e revitalização de espaços foram acompanhados de uma reformulação da proposta pedagógica da rede, que priorizou a leitura como uma das estratégias para a melhoria do desempenho escolar dos estudantes. Adotamos como meta diária em todas as nossas unidades, até mesmo nas de educação infantil, para crianças menores de 5 anos, o contato diário com o livro e com a leitura de qualidade. É dever da escola preparar o cidadão para as diferentes formas de ler e isso começa a ser feito a partir de um bom trabalho de literatura”, disse Roberlayne.

 

Uma apresentação de dança e uma sessão de contação de histórias com a Bruxa Guinevere, que atua na equipe de projetos da Gerência de Bibliotecas e Faróis do Saber, marcaram a inauguração do novo espaço. Os estudantes Rian Rocha de Oliveira e Giordano Walter Lubes entregaram ao prefeito e à secretaria da Educação suas carteirinhas para o empréstimo de livros na biblioteca.

Para a diretora da escola, Andrea Ferreira de Melo, a construção da biblioteca, da nova sala para informática e demais revitalizações, completaram o desejo da comunidades escolar. “Temos professoras muito dedicadas que agora terão ainda mais qualidade para o trabalho com os estudantes. A biblioteca amplia nossas possibilidades de transformar as vidas dos nossos alunos a partir do conhecimento”, disse a diretora. A professora Emanuelle Cassim viu um sonho de criança ser realizado. “Eu já desejava a biblioteca quando era aluna, como professora, é um sonho concretizado”, disse.

O nome da professora, pedagoga e uma das fundadoras do Conselho do Magistério do Paraná, Chloris Casagrande Justen, foi escolhido para a biblioteca pelos estudantes. Chloris é viúva do patrono da escola, o desembargador Marçal Justen, e participou da cerimônia, bastante emocionada. “Não há melhor forma de ser homenageada do que ter meu nome na biblioteca cujo patrono foi o meu marido, um homem que considerava a educação o fator de transformação da vidas da pessoas. Escola é uma luz que entra em qualquer lugar, que essas crianças aproveitem muito do que este maravilhoso espaço tem a oferecer”, disse Chloris. A escolha feita pelas crianças é o resultado do envolvimento e participação que Chloris tem na unidade. Sua presença é constante em ações e atividades com a comunidade escolar.

Estiveram presentes na inauguração da biblioteca o administrador da Regional Portão, Marco Mello; o presidente da Associação de Pais, Professores e Funcionários (APPFs), Fabiano José Petroski; a secretaria de Finanças, Eleonora Bonato Fruet; o presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli; a presidente do Conselho Municipal da Educação, Berenica Valenzuela; o representante da Academia Paranaense de Letras, Leo de Almeida Neves; e familiares da homenageada.

Autor: Cláudia Muniz e GBFS | Fonte: Agência de Notícias da Prefeitura de Curitiba