Festa Junina

    Publicado por:  Alessandra Lisot Pinto

 “O que vamos ver aqui é o resgate de nosso povo. O chimarrão, a festa campeira, a alegria. Isso faz parte do gauchismo e está presente no cotidiano de muitas famílias que aqui estão.

Essas tradições que nos remetem á antiguidade e também ao çigar em que vivemos. Ao nosso sul! E aqui no sul é diferente! O piá não é um muleque, a vina não é salsicha e abóbora não é girimum.  Aqui se come pinhão, pisamos em geada, falamos leite quente e valorizamos o que é nosso!

Para representear nosso regionalismo, aqui escolhemos o chimarrão. Nosso mate doce e de amargo sabor. Aquele que foi descoberto aqui no Paraná, que nos remete á infância, aos nossos avós. Mate que muitos amigos nos traz e relações agradáveis cria. O que nos garante a companhia!

Te aprochegue! Vem pro mate! Para roda chimarrear! Puxe um banco, conte um “causo”, a roda é grande e sempre te um lugar pra mais um. Pois aqui, a hospitalidade é do tamanho do nosso coração! Venha e prove comigo, pois o que é nosso ninguém nos tira e não pode se perder. E depende de nós levarmos adiante e mostrar para nossos pequenos que a nossa cultura tem seu valor.  (Gustavo Ribeiro, 15 anos).

Junho é o mês das Festas Juninas, das comemorações e das quermesses, danças típicas, tempo de enfeitar o Cmei e encher os nossos corações de alegria. No Cmei Parigot de Souza realizou-se o Arraiá dia dez de junho com muita comilança, danças e alegria.

Autor: Parigot de Souza, CMEI | Fonte: CMEI Parigot de Souza
00143328.jpg
festa junina
1/4