Farol do Saber Machado de Assis é totalmente revitalizado pela Prefeitura

    Publicado por:  Paulo Henrique Machado
 
O primeiro Farol do Saber de Curitiba, o Machado de Assis, recebeu uma reforma completa e foi entregue à comunidade do bairro Vista Alegre na manhã desta quarta-feira (05/08). Inaugurado em novembro de 1994, o Farol foi um dos primeiros espaços a desenvolver um projeto de inclusão digital na cidade. O investimento feito pela Secretaria Municipal da Educação para a revitalização foi de R$ 111 mil.
 
O Farol ganhou novos pisos e vidros, nova porta de entrada, ar condicionado, iluminação, calçadas e pintura. A cozinha e banheiros também foram reformados, além da organização da rede elétrica interna, iluminação na torre.
 
Com as melhorias, o público terá mais qualidade para participar das oficinas desenvolvidas no Farol, consultar ou emprestar o acervo que reúne 5,5 mil livros, ou usar o espaço voltado à inclusão digital, com computadores que têm acesso à Internet.
 
As mudanças agradaram aos frequentadores que diariamente passam pelo Farol. Entre os mais satisfeitos está o artesão aposentado Caetano Vaneli, de 91 anos. Seu Caetano é assíduo frequentador desde a abertura do local na década de 90 e foi o primeiro aluno da turma de informática, aos 80 anos de idade.  “O Farol é um lugar acessível onde encontrei mais do que livros: encontrei histórias e uma nova perspectiva de vida a partir do que aprendi com a informática. Esse Farol mudou a minha vida”, diz seu Caetano.
 
As visitas de seu Caetano ao Farol começaram para que ele levasse os netos para passear na estrutura metálica repleta de historias e aventuras nas páginas dos livros do acervo. Tantos livros acabaram motivando o artesão a descobrir o gosto pela leitura e posteriormente pela escrita. O passo seguinte foi participar do projeto de Inclusão Digital para a Melhor Idade desenvolvido no Farol Machado de Assis, onde aprendeu informática. O novo aprendizado serviu para que ele digitasse seu primeiro livro.
 
“O ex-seminarista” é uma autobiografia na qual relata experiências vividas no seminário quando jovem. “Aprendi a trabalhar no computador e a contar histórias no Farol, um espaço que mudou para melhor a minha vida”. Hoje os netos já estão formados, mas seu Caetano segue incentivando e motivando as pessoas à leitura e à pesquisa.
 
O projeto que fez de Vaneli um escritor segue ativo no Farol. Oficinas orientam pessoas idosas a usarem o computador e se familiarizarem com a informática.
 
Outros projetos acontecem simultaneamente como “Hora da história”, “Concurseiros no Farol” e “Projeto Vestibular”. “Este espaço é fundamental para a inclusão de pessoas, para a disseminação de conhecimentos e trocas culturais”, disse a secretária municipal da Educação, Roberlayne Borges Roballo.
 
A reinauguração do Farol foi marcada pela alegria das pessoa da comunidade que vivem próximas ao Farol, de funcionários, usuários do espalho e de estudantes da Escola Municipal Ana Hella, vizinha ao Farol e que foram prestigiar a retomada das atividades após a reforma. Yuri de Souza Oliveira, de 8 anos, adora ler e gostou de ver o Farol do Saber organizado e novo. “Ficou muito bonito e isso faz com que a gente queira vir aqui para ler”, disse Yuri.
 
A Bruxa Cidinha, da Casa Encantada do Bosque Alemão, esteve presente e reuniu crianças e adultos em uma divertida contação de história. Os frequentadores mais assíduos, que lideram o ranking dos leitores, foram presenteados com livros. Entre eles a comerciante Maria do Carmo Barbosa, conhecida como Lia, que semanalmente renova o empréstimo de livros. “Adoro o Farol e já li boa parte do acervo, em especial os livros de romance, que são meus preferidos”, disse Lia. 
 
Bibliotecas escolares
 
Os Faróis do Saber são unidades integrantes da Rede Municipal de Bibliotecas Escolares. O serviços ofertados nas unidades foram modificados nos últimos três anos. “Com as revitalizações, pretendemos garantir que esses espaços possibilitem às pessoas terem acessos a conhecimento, seja por meio das histórias, da pesquisa ou da interatividade promovida pela tecnologia”, disse Roberlayne.
 
Além das atividades voltadas às práticas de leitura, são desenvolvidas nesses espaços projetos culturais e recreativos. No Farol do Saber Machado de Assis, por exemplo, além de empréstimos de livros e pesquisas diversas, as pessoas podem participar de atividades como a hora do conto, o projeto de inclusão digital para estudantes e idosos, xadrez e o projeto vestibular, que oferece a vestibulandos a literatura específica das provas.
 
A melhoria no Farol é parte de um pacote de obras da Secretaria Municipal da Educação, que no ano passado destinou outros R$ 600 mil em projetos e recuperação de seis Faróis. Já passaram por reformas os Faróis Antônio Machado, Frei Miguel, São Pedro e São Paulo, das Cidades, Aristides Vinholes e a Casa Encantada, no Bosque Alemão.
 
“Cada Farol do Saber tem seus próprios projetos, propostos pelas agentes de leitura de acordo com a demanda do bairro e de sua comunidade”, explica o gerente da Rede Municipal de Bibliotecas e Faróis, Paulo Henrique Machado.
 
Atualmente a rede municipal de ensino conta 193 unidades de bibliotecas, sendo que 41 delas são consideradas Faróis do Saber.
Autor: Bibliotecas e Faróis | Fonte: Claudia Muniz