Exploração de espaços externos na Educação Infantil

    Publicado por:  Juliana de Araújo Faustino

A organização de espaços externos para crianças e famílias vem sendo trabalhada com bastante êxito na educação infantil do CMEI Santos Andrade. Estão sendo trabalhadas formas de interação entre crianças e famílias logo na entrada do CMEI, com brinquedos confeccionados pelas próprias crianças com apoio de profissionais.

Para salientar esse pensamento segue um trecho do artigo publicado na Revista Educação de Setembro/2011, onde a professora Maria da Graça Horn. Autora do livro Sabores, Cores, Sons e Aromas (Artmed, 119 págs) Ex-professora da graduação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ela trabalha hoje no curso de especialização em educação infantil da mesma instituição, além de lecionar nos cursos de extensão da Uniritter, da Unisinos e da Univates, todas no Rio Grande do Sul.  Para ler a entrevista completa CLIQUE AQUI.

Nesta entrevista a Alceu Luís Castilho, da Agência Repórter Social, foi questionado a professora:

"A criança aprende menos em ambientes fechados?
Com certeza. Há estudiosos como Vygotsky, Wallon, Montagné, Winnicott, entre outros, alinhados ao que chamamos de sociointeracionismo. Eles comprovaram que a criança aprende na interação com o meio, com seus pares, com o mundo, enfim, mediados nesse processo de construção por adultos ou por parceiros mais experientes. Na perspectiva desses autores, o meio é fator fundamental na aprendizagem. Portanto, quanto mais bem qualificado, quanto mais instigante e desafiador for esse meio, mais aprendizagens serão construídas."

E é neste pensamento que o CMEI está se baseando na exploração dos espaços e principalmente na interação das crianças com as famílias, seja na chegada, durante o dia, ou até no final do dia.

Autor: Santos Andrade, CMEI | Fonte: Revista Educação (Setembro/2011)
00110914.jpg
Espaços Externos
1/9