ESTHER MAHLANGU - ARTE AFRICANA E CUSTOMIZAÇÃO

    Publicado por:  Marilia Stockler

ESTHER MAHLANGU – ARTE AFRICANA E CUSTOMIZAÇÃO

No dia 16 de setembro os alunos dos 5º anos B e C culminaram uma produção artística, realizando uma exposição tendo como inspiração obras da artista africana Esther Mahlangu. Foram realizadas customização de diversos objetos trazidos pelos próprios: tênis, camisetas, garrafinhas, caixinhas,etc. A técnica utilizada foi pintura com guache.

Para saber um pouco mais desta artista que inspirou nossos alunos segue uma pequena biografia:

Esther Mahlangu, nasceu em 1935, em Middelburg, Mpumalanga , África do Sul e pertence ao povo de Ndebele do Sul .Começou a pintar com apenas dez anos, seguindo os ensinamentos de sua mãe e avó, e desde então não parou. A artista segue, assim, uma tradição local, que afirma que esse tipo específico de técnica de pintura é transmitida na família, comunicada, aprendido e transmitido apenas por mulheres. Essas pinturas estão intimamente ligados com a antiga tradição de decorar as casas por ocasião do rito de passagem para os meninos. Entre dezoito e vinte anos de idade, os jovens da tribo vai para "uma escola de circuncisão", o ritual que confirmou a sua passagem para a vida adulta. Para comemorar este evento as mulheres desenham dentro e fora de suas casas com uma preparação de esterco de vaca e giz usando um vasto repertório de figuras tradicionais. Estes projetos foram caracterizados pela presença de formas geométricas repetidas de cores brilhantes, amarrados por uma borda preta fina em contraste nítido com o fundo branco, um caminho muito claro. Apesar de aparentemente simples, a abstração geométrica que é revelada por estas pinturas é ressaltada pela repetição constante de tais formas simples que fazem toda a obra, no entanto, bastante complexa.

 Suas obras estão em importantes coleções particulares, incluindo o de A Colecção de Arte Contemporânea Africana (CAAC) de Jean Pigozzi e, em muitos museus ocidentais. Apesar de ser uma artista reconhecida internacionalmente, Esther Mahalangu vive na sua aldeia em estreito contacto com a sua cultura. Uma mulher de poucas palavras, Mahalangu tem dedicado a sua vida a sua arte.

Autor: Maria Clara Brandão Tesserolli, EM | Fonte: Simoni Dal Negro de Oliveira