Em Brasília, secretária da Educação de Curitiba participa de reuniões sobre sistemas de avaliação e Criança Alfabetizada

    Publicado por:  Maria Duarte

 

 

A secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, participou esta semana, em Brasília (DF), de reuniões sobre sistemas de avaliação da Educação Básica e indicadores de alfabetização.

A Comissão de Apoio à Articulação entre os Sistemas de Avaliação da Educação Básica aprovou a metodologia proposta pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para equalizar os resultados das avaliações estaduais com o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), realizado pela autarquia federal.

O grupo é formado por representantes do Inep; do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed); da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime); e do Conselho Nacional de Secretários de Educação de Capitais (Consec), presidido por Maria Sílvia.

“A comissão deve estabeleçer os caminhos para a divulgação de resultados já equalizados, ainda neste primeiro semestre”, explicou a secretária de Curitiba.

Outro tema abordado na capital federal foi a construção de um indicador que aponte o percentual de alunos alfabetizados ao fim do 2º ano do Ensino Fundamental no Brasil. O índice seria gerado justamente a partir dos dados apurados pelas avaliações estaduais, em 2023, e apresentado neste ano de 2024.

O objetivo é que ele, mesmo após uma primeira divulgação, siga em desenvolvimento, a partir das demandas alinhadas pela comissão e pelas redes de ensino.

Realizado desde 1990, o Sistema de Avaliação da Educação Básica é uma avaliação em larga escala que oferece subsídios para a elaboração, o monitoramento e o aprimoramento de políticas educacionais. Permite que os diversos níveis governamentais avaliem a qualidade da educação praticada no país, a partir de evidências.

 

Autor: SME | Fonte: SME
00462704.png
Comissão de Apoio à Articulação entre os Sistemas de Avaliação da Educação Básica debate a integração das avaliações. Crédito: Eduardo Colin/Consed
1/1