DISTANTES SIM, SEPARADOS NUNCA...

    Publicado por:  Dirce da Silva Correia Parise

O ano de 2021 chegou e em 09 de fevereiro, as equipes iniciaram com as reflexões da SEP 2021, sob o tema “O Acolhimento Enquanto Princípio e Fundamento das Relações na Educação Infantil”, além disso, muitos ajustes foram feitos, atendendo as orientações e medidas para uma retomada segura para todos, por causa do Corona vírus. Logo após, como já é de conhecimento, iniciaram os atendimentos nas formas híbrida e remota, porém, o atendimento presencial foi suspenso novamente, mesmo assim, toda a equipe do CMEI, procurou formas de estarem presentes na vida das crianças e seus familiares, acolhendo-as por meio deste Jornal, dos vídeos, na confecção e entrega dos kits, os quais foram elaborados, tendo em mente que precisavam ser com qualidade e somados a isso, intencionalidade, continuidade e acolhimento, tanto para as crianças, quanto para as famílias, garantindo os direitos de aprendizagem.

         Do mesmo modo, cabe dizer que, até a finalização das propostas, foram realizadas muitas reuniões de Formação e conversas de orientação com a Diretora, pedagoga e equipes para definição do que seria melhor para as crianças, até mesmo para definição dos materiais.  Nesse sentido, estas Formações aconteceram uma vez na semana, pela plataforma Google Meet e foram tratados diferentes temas, entre eles, “Vídeos inspiradores do Ateliê Carambola, A importância da alimentação na educação infantil, A documentação Pedagógica (Pareceres, registros, murais, planejamentos, mini-histórias...), As narrativas e o Portfólio na educação Infantil” e outros tantos , isso por entender que o professor constrói e reconstrói o seu saber-fazer na experiência, por isso refletimos constantemente sobre nossas ações, tecendo ideias, analisando criticamente e avaliando as situações do cotidiano, o que impulsiona um docente pesquisador para investigar as teorias que fundamentam as práticas pedagógicas, (Currículo da Educação Infantil de Curitiba: Diálogo com a BNCC, pág. 172, 2019).

         Nessa trajetória, além de planejarem o que enviar às crianças, as professoras preocuparam-se também em acompanhar as aprendizagens dos pequenos, por isso, neste momento de distanciamento, os vídeos, as fotos, os áudios e os “Prints” enviados pelas famílias,  cooperaram para que cada professora pudesse, elaborar e comunicar um pouco dessas aprendizagens por meio da escrita do Parecer, num esforço ainda maior, de narrar o que  perceberam de cada criança em particular.

 

 

Autor: ALVAIDES R. FELDKIRCHER | Fonte: CMEI BAIRRO NOVO
00304438.jpeg
Com o distanciamento, passamos a aproveitar e nos dedicar ainda mais a um novo jeito de ser professor. Este artigo traz um pouco deste percurso.
1/11