Dia das Mães, Princípios Educacionais

    Publicado por:  Caroline Kupczki Krezko

Dia das Mães, Princípios Educacionais, Contextos, ai, ai, ai como conciliar tudo isso dentro da Gestão Democrática...

A Gestão Democrática pressupõe a comunidade participando nas decisões e nas ações educativas da unidade.

Nesse contexto é necessário conciliar as aspirações das famílias, sua cultura, sem perder de vista os princípios educacionais, contemplando o protagonismo e especificidades das crianças.

“Todos os instantes realizando atos de aprendizagem e de ensino; pela educação desenvolvemos nossa capacidade e potencialidades para o “saber” e para fazê-lo, para ser ou para conviver, todos os dias misturamos a vida com a educação” (BRANDÃO, 1985, p. 7. grifos nossos). Nesse misturar da vida o CMEI Dr. Eraldo Kuster decidiu em reunião do Conselho que na semana que precede o Dias das Mães seria realizada uma Ação Educativa com as famílias.

Há uma linha tênue entre acolher a cultura das famílias e alienação a serviço do capitalismo, que dita os comportamentos e necessidades.

O Dia das Mães, além da escravidão do capitalismo tem o desejo dos adultos que muitas vezes sobre põem aos desejos das crianças.

O CMEI Dr. Eraldo Kuster comprometido com os princípios educacionais, tendo a criança como sujeito integral, que deve ser respeitada em seu desenvolvimento cognitivo, psicológico e físico, considerou todos os contextos, as famílias que culturalmente comemora o dia das mães, ao mesmo tempo das crianças cujas mães não poderiam estar por motivos de trabalho; das crianças que têm como referência de mãe, a avó, o avô, o pai, o tio, a tia, o irmão, a irmã, a madrasta, o padrasto, a vizinha, entre outros contextos.

E nada de apresentação; nada de criar situações em que a criança iria sentir-se vexada, exposta, frustrada; ou porque não se sente bem em apresentar, ou por motivo da referência de mãe não estar presente.

Olha que as famílias vieram. Foi uma luta acomodar a todos, todas adequadamente, talvez nem conseguimos.

As famílias foram inseridas na rotina das crianças, com atividades diferenciadas é claro.

Previamente foram preparadas oficinas: as crianças e seus familiares plantaram flores, confeccionaram brinquedos, dançaram, ouviram histórias, pintaram paletes e se divertiram; se sujaram de terra, de tinta (dica, para retirar tintas das roupas coloque leite quente, ou limão sobre a roupa seca. Alguns segundos depois, lavar com sabão neutro).

No momento do jantar, de forma livre e harmoniosa, as famílias acompanharam as crianças e não conte para ninguém, mas muitos familiares tomaram sopa com as crianças e não faltou; acompanhando a sopa foi servida salada de frutas ofertadas pelos avós das crianças, Enzo e Saore.

Assim seguiu à tarde das famílias no CMEI, com momentos memoráveis, os quais as crianças terão muita história para contar.

Quanto às datas festivas do calendário civil, não necessita que sejam ignoradas, só precisamos dar novos contornos a elas e acima de tudo, que sejam significativas as crianças.

 Que boa ideia essa da Gestão Democrática! Abrir os portões da unidade, responsabilizar a comunidade, para em conjunto com o CMEI/Escola promover a ação educativa é a forma mais eficiente e inteligente de fazer dar certa a educação.

Observar a família circulando livremente com seus filhos nos ambientes da unidade é lindo e perfeito. E mais perfeito ainda é ver as famílias participando ativamente das ações a fim de tornar os ambientes esteticamente mais agradáveis, desafiadores, com o rosto das crianças, das famílias, dos profissionais da unidade. É a junção de muitos rostos que formam o rosto do CMEI Dr. Eraldo Kuster!

Que Deus abençoe a todos, todas que têm o privilégio de fazer parte da comunidade Dr. Eraldo Kuster. Que venham mais e mais datas para celebrarmos e todas haverão de serem significativas às crianças!

 

Ivete Bussolo

 

 

ACOLHIDA AS FAMILIAS NA AÇÃO EDUCATIVA

Mãe, pai, madrasta, padrasto, avó, avô, tio, tia, primo, prima, irmão, irmã, vizinho, hoje a família ganhou novos contornos e nem sempre conseguimos contemplar a referência maior da criança.

O nosso compromisso é com a formação humana; são com os nossos pequenos e pequenas cidadãos, cidadãs e proporcioná-los o direito de serem crianças, sendo respeitadas em seus direitos na dimensão física, psíquica, cognitiva.

A Instituição não tem porque, criar situações em que a criança pode desenvolver sentimentos negativos, frustrações.

Sendo assim hoje, nada de apresentações as mães, nada de situações em que a criança talvez chore, sinta-se vexada, exposta, triste.

Hoje é o dia da família no CMEI, da família participando da vida da criança no espaço dela; é dia da criança perceber que a mamãe, o papai, o avô, a avó, o tio, tia, a madrasta, padrasto, o irmão, irmã, vizinho se importa com ela.

O maior presente que uma mãe pode receber é a promoção de bem estar, conforto e um ambiente com muitas brincadeiras a seu filho (a). E com a participação da mãe, da família.

O nosso compromisso não é dar presente a mãe, a família, e nem estimular a criança a comprar presente à mãe. São valores ditado pelo capitalismo.

Imagine se o meio de demonstrar amor, carinho teria que ser comprando um presente, o que seria das famílias com menos condições financeiras?

Como iriam demonstrar esse amor?

O amor verdadeiro da criança se expressa por um abraço, uma palavra de carinho; um desenho, uma pintura confeccionada por ela.

A criança se sente muito importante ao confeccionar um presente para a mãe, para pessoa que ama.

E olha que elas guardam segredo, ou tentam às vezes ela até fala para mãe, Mamãe estou fazendo um desenho a você, mas a prof. disse que é segredo, Não pode contar para ninguém...

Essa fala da criança da conta de expressar o amor pela mãe.

É o presente da inocência, da pureza, o amor se expressa nos gestos simples. Nós adultos que complicamos tudo.

Temos a capacidade de dizer, puxa meu marido, minha esposa, meu filho não me ama não me deu um presente. Apesar dos abraços, dos beijos e do “eu te amo”.

Será que o poderoso capitalismo teve a capacidade de mudar o coração, a forma de sentirmos amor? Claro que não...

Sendo assim você que está aqui, feliz dia...

E aproveite cada momento que estará com sua criança.

Que Deus abençoes a você que é tão especial na vida de seu, sua filho, filha.

Que Deus abençoe a todos nós

 

 

 

Autor: Dr. Eraldo Kuster, CMEI | Fonte: Ivete Bussolo
00137380.jpg
Ação entre amigos
1/84