Consciência Negra no Anísio

    Publicado por:  Marilia Costa Jordao

Ubuntu é uma palavra de origem africana que tem como significado: “Eu sou quem sou, porque somos todos nós”. Foi com este pensamento da humanidade como uma única raça que realizamos a culminância das atividades de cunho étnico aqui no Anísio.

O dia da Consciência Negra consagra toda riqueza que o povo africano trouxe para a construção do nosso país, assim como a luta e resistência travada contra a escravidão. No dia de hoje relembramos a vida de Zumbi dos Palmares (decapitado 20 de novembro de 1695) e exaltamos a beleza desta cultura, que traz em seu cerne a alegria e o gingado que o povo brasileiro se apropriou!

As professoras que ao longo do ano cumpriram a lei 10.693/30 que determina o ensino da história da cultura afro brasileira e africana estiveram expondo o processo das discussões realizadas em sala de aula. O resultado foi arte e valorização do povo negro por todos os corredores da nossa escola.

Foi realizado um circuito interno com diferentes vivências relacionadas à temática Na sala de Práticas Ambientais, foi simulado uma savana com animais feitos de material reciclado, também foram expostos jogos africanos, linha do tempo de Mandela e mapa mundi com personalidades negra. Neste mesmo espaço o Coral Canta Teixeirinha, emocionou a todos com a canção da África do Sul, Shosholoza, sob orientação da professora Millene Camargo. Esta mesma professora contou as crianças a história da kalimba, interpretada pelo povo banto. Ainda nesta mesma sala, foi exibido a todas as turmas e funcionários dois vídeos, um retratando a vida de Chiquinha Gonzaga e outro sobre Zumbi dos Palmares, ambos veiculados no projeto A Cor da Cultura.

A professora Denise Bonvin de Práticas Artísticas (música), também abrilhantou o evento com a música Batuque na Cozinha, nossos teixeirinhas mostraram que tem o samba no pé.

Ainda contamos com a participação de o grupo de Capoeira Raízes que apresentou para as crianças esta luta tão bonita. Os alunos que participam da atividade de capoeira com professora Gisele Carneio (na prática do Movimento), também jogaram e se divertiram com a visita do grupo.

O trabalho produzido pelas crianças do regular e exposto em diversos cartazes espalhados pela escola também iluminaram nosso dia! Todas as professoras além de terem vindo à escola com a vestimenta que retrata a cultura africana colaboraram imensamente para mais esta atividade realizada em nossa escola. Houve também uma oficina de turbantagem e as meninas ficaram muito graciosas utilizando o turbante como acessório.

Há quem diga que celebrar este dia é uma bobagem. Nós aqui dizemos que nunca é demais disseminar a paz, o respeito e valorizar o outro e sua história!

Autor: Anísio Teixeira, EM | Fonte: Marilia Costa Jordão
00092724.jpg
dfgs
1/16