Cidadania se aprende na escola: estudantes da rede municipal apresentam suas escolhas no Fala Curitibinha

    Publicado por:  Maria Duarte

A Universidade Livre do Professor, na CIC, recebeu na manhã desta quinta-feira (17/8) seis turmas de escolas municipais para a apresentação dos projetos realizados pelo Fala Curitibinha/Fala Curitibano, desenvolvidos pelo programa Linhas do Conhecimento e pelo Instituto Municipal de Administração Pública (Imap).

As escolhas apontadas pelos estudantes serão apresentadas também nesta sexta (18) e nos dias 24 e 25 de agosto, mobilizando duas mil crianças da Educação Infantil e do Ensino Fundamental. O destaque deste primeiro dia foi a separação de lixo.

Com o projeto, o público infantil aprende a importância da participação cidadã e manifesta opiniões e ideias, nos moldes do Fala Curitiba.

Desde 2019 os estudantes refletem e opinam sobre o que pode ser feito nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e nas escolas e, eventualmente, no entorno das unidades. Em 2021, o Fala Curitibinha foi ampliado para os estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e da Educação Especial, com a denominação de Fala Curitibano.

“As atividades envolvem pesquisas, reflexões e debates sobre questões que afetam a realidade escolar. Isso contribui para o desenvolvimento de sua autonomia e da consciência crítica, seus direitos e responsabilidades”, explicou a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila.

Mudança além dos portões

O projeto começou em março deste ano, com a identificação das ações que os estudantes queriam ver nas escolas.

Para a turma do 4° ano A da Escola Noely Simone De Ávila, na Vila Torres, o Fala Curitibinha foi um ponto de virada. Os estudantes identificaram como principal problema o lixo descartado inadequadamente na comunidade da Vila Torres, então as professoras Maria Claudia Branco e Cláudia Amóra trabalharam a temática da sustentabilidade com as crianças, ensinando em sala de aula sobre a importância da reciclagem.

“Foi muito produtivo para nós, porque conseguimos fazer não só os estudantes, mas também os trabalhadores que lidam com o lixo e a comunidade, ressignificarem e valorizarem a reciclagem. E vê-los aqui hoje, com os olhos brilhando, faz tudo valer a pena”, disse a professora Cláudia.

Pelo Fala Curitibinha, a turma fez visitas de campo a um barracão de separação de lixo e produziu folhas de papel reciclado, além de fantasias com lixo separado por eles mesmos. O ponto alto da ação foi o desfile que fizeram para a comunidade, com as fantasias.

“O Fala Curitibinha me ensinou muita coisa, mas a parte mais legal pra mim foi o desfile, porque nós mostramos pro mundo como é bom reciclar”, comenta o curitibinha Bernardo Mulek da Silva.

 

Novas chances de evolução

Com o Fala Curitibano, o desenvolvimento do sentimento da cidadania foi além da infância, voltado aos estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e da Educação Especial. 

A estudante do EJA Izabel Cristina Gonçalves, de 55 anos, comentou sobre sua experiência. "Tudo que a gente faz importa para a sociedade, e cada vez que aprendemos mais queremos fazer mais", afirmou.

Autor: SME | Fonte: SME
00431761.jpg
Seminário do Fala Curitibinha na Universidade Livre do Professor. Curitiba17/08/2023. Foto: Luiz Costa/ SME
1/1