Chá com prosa docente

    Publicado por:  Aline Eluize Cardoso

No dia 24 de novembro realizou – se nas dependências do CMEI Ciro Frare um diálogo entre docentes, em busca de evidenciar as relações e os pensamentos das crianças que circulam no cotidiano e se estabelecem na vida sentida e vivida, com significados e misturas, que revelam as peculiaridades e subjetividades das infâncias, com seus desafios e complexidades.

Para Malaguzzi ao evidenciar as possibilidades das infâncias, quando nos aponta as “ cem linguagens”, torna visível a grandeza das crianças e as suas complexidades, ela já existe e não é um sujeito que virá a ser, pois faz parte de um universo em contato com o cosmo repleto de relações e experiências únicas. Desta forma, é fundamental destacar que a experiência é de cada sujeito. Cada pessoa passa, sente e absorve de modo muito íntimo as vivências e transformações que as experiências tomam a vida, sendo imprevisível a leitura sobre imagem de criança que é “(...) inteligente, exigente, tenaz, persistente, inconformista, perturbadora da ordem estabelecida e revolucionária” (HOYUELLOS, 2006.p. 324). Este autor, me deixa em estado de estesia, em pensar e sentir essas palavras que descrevem as crianças em seus caminhos para interpretar o mundo com seus infinitos enigmas. Abrindo aos olhares, escuta e sentidos em espanto ao inesperado, surpreendente e extraordinário mundo das cem e cem e cem... linguagens, em um reflexo de sensibilidade para a compreensão dos acontecimentos para entender os significados e mistérios mais complexos em torno das crianças, contextos e culturas, que por vezes, nos parece algo tão simples, banal. Malaguzzi, nos ilumina acerca da imagem de criança, porém a humanidade não consegue compreender e na contramão do que o autor nos diz, se confunde em suas reflexões e tem em dificuldade para revelar a criança e seus enigmas.

Inspiradas neste dialogo das “ Cem linguagens”, citados por Malaguzzi as turmas prepararam um diálogo sobre os acontecimentos e como circulam os pensamentos das crianças na unidade. A turma do Pré II B - Professoras Paula Fernanda Fagundes de Lima e Rejane Cristina dos Santos Lobo – trouxeram para a conversa “ A arte de construir brincando”... Inspiradas em Malaguzzi relataram que quanto mais significados suas experiências oportunizam, mas se oferece as crianças possibilidades de criações. Utilizando elementos planos no cotidiano e a escuta diária dos interesses das crianças as professoras ressaltam que a atividade mais importante para uma criança pequena é a brincadeira...

A conversa das turmas de Maternal I - Professoras Adriana Martins de Jesus, Debora Cristina dos Santos, Lucimara da Andrade Batista e Professoras Josieli Farias Barbosa, Elisabete Lucinda de Oliveira e Juliana Caroline Marchi – embasou – se no tema “ Luzes que encantam”... A proposta surgiu a partir dos interesses das crianças em observar na parede a luz solar ao final de uma tarde ou a própria tomada da sala de atividade, que ao acender e apagar provocava nas crianças encantamentos... Embasadas em Rodari as professoras destacam que a criatividade e sua fomentação se dá durante toda a vida e nesse sentido que a escola passa a ser lugar de convivência, investigação e de fortalecimento do potencial das crianças... Juntas as turmas de Maternal I da unidade instigaram e provocaram as crianças a desbravar as descobertas... As professoras relataram também a participação de todo o processo de investigação das crianças na Conferência Nacional de Educação Criativa como destaca – se na notícia nesta página também com o título “ Crianças, contextos e aprendizagens: os processos relacionais de aprendizagem na educação infantil”....

Embasadas em Reggio Emillia inspirando – no a reinventar o nosso cotidiano a turma do Berçário II A – Elizangela Cristina F. de Oliveira, Eva Marcilene Bortotti dos Santos e Zecleia Leixa Dias – trouxe para as conversas  “Como as crianças dão sentido ao cotidiano”... A escuta, os sentidos, a apreciação, a exploração a natureza e investigações do cotidiano, as conversas diárias das crianças foram essenciais para as descobertas dos bebês... As professoras destacam que a criança é curiosa e atenta as diversas formas de vida em nosso Quintal...

Com a turma do Pré I B – Aline Eluize Cardoso, Fátima Nazareth Polizel, Silvana Bley e a Profissional de apoio Rita de Cassia Claudino – trouxeram para a conversa “ O olhar da criança para a natureza: investigando as plantas”... Ao perceber o interesse das crianças em coletar flores e levar para a sala para conversar em grupos sobre elas as professoras trouxeram o território da botânica para o diálogo. Segundo elas devemos ouvir as crianças como seres únicos, integrais e envolvidos em diferentes contextos.... Nesse sentido promover a escuta exige do professor um olhar criativo e curioso. Assim desenvolver espaços investigativos para as crianças faz com que o professor interaja com as crianças.... Desta forma sensibilizar as crianças a atitudes científicas, como coleta de dados, investigação e resultado das observações e da pesquisa faz com que a criança se torne um ser ativo que nunca se contentará apenas com informações recebidas...

Dando continuidade a conversa a turma do Pré I A – Izabel Nunes Guimaraes, Marcilene Aparecida de Jesus e Patrícia Fernandes – trouxeram as atividades realizadas na horta Mandala “ Cultivando e cuidando da horta “com as crianças no decorrer do ano letivo... As professoras ressaltaram que o trabalho de cuidado com a horta acontece desde a adubação até a colheita... E nesse território as possibilidades de investigações são variadas... Aguçados pela curiosidade e pela investigação as crianças encontraram diversas espécies de animais na horta... As professoras destacam que a horta é cotidianamente cuidada e ao termino da colheita as crianças levam verduras e legumes para casa para degustarem juntamente com suas famílias...

A Permanência – Fernanda Santana de Oliveira, Maria Sebastiana G. Peixoto, Juliana Caroline Marchi, Mayara Albuquerque Lirman, Rosangela Cordeiro F. Bianna e Joyce Thalita Alves Ribeiro – conversaram sobre “Descobertas e encantamentos...”... Destaca – se aqui a importância desta equipe na unidade... Enquanto as professoras das turmas saem de sala para planejamentos elas assumem com eficiência as atividades proporcionando as crianças momentos de aprendizagem, descobertas e encantamentos... Através da escuta, e de olhares curiosos e aguçados as profissionais criaram espaços investigativos na Sala Múltiplo Uso onde as crianças através de suas ações tornam – se protagonistas. Segundo as profissionais as crianças precisam experimentar e descobrir o mundo...

Segundo as professoras da turma do Maternal II – Josiane Martins Avelino e Edna de Araújo Ferancini – “ Brincando com as luzes...” fez com que as crianças se encantassem pelo extraordinário mundo das luzes.... Segundo elas a necessidade de aventurar – se é cotidiana, onde as crianças são protagonistas de seus diferentes contextos...

A turma do Pré II A – Cleonice Ribeiro dos Santos e Michele Cristina Franco e a profissonal de apoio a inclusão Pollyana Sieben da Silva – conversaram sobre “ As coisas simples da vida...” Para elas o olhar do professor na interação com a criança possibilita novas experiências, é nesse momento que o professor torna – se mediador nos diferentes contextos das crianças... Com bandejas de experimentação, tecidos ao vento, brincadeiras em poças da água as crianças investigaram, exploraram e pesquisaram as descobertas e experiências cotidianas resgatando experiências e vivencias da criança ...

A conversa da turma do Pré II C – Deúzelia Britto Kovalczkowski, Mayara Albuquerque Lirmam e Adirleia Ferreira Camargo – trouxeram os “ Construtores do amanhã...”. Inspiradas em Gandhi Prioski e as materialidades que emergem o ser humano. Para o autor a criança ao brincar com uma casinha de palha é sentir a cosmidade mais profunda da existência humana.... Com a arte segundo as professoras criasse uma sociedade criativa. A arte passa a ser ferramenta para estimular o deslumbramento infantil, a imaginação e a criatividade... Embasadas em Albert Einstein que relata que a imaginação é mais importante que o conhecimento as professoras destacam a importância da arte na vida sentida e vivida de nosso Quintal. Segundo a professora Deúzelia “ as crianças são arteiras, usando a experimentação, sombra e luz, pedras e sementes e flores estamos instigando uma sociedade criativa...”

Para encerrar a conversa nesta manhã extraordinária a turma do Berçário II B -  Vivian Barauna da Silva, Ilma Maria Santos Bassan e Lucineia Batista de Camargo Peres – trouxeram as “ Experiências contagiantes em nosso Quintal...” que são traduzidas por meio do toque da beleza cotidiana... Inspiradas em Malaguzzi e Paulo Fochi as profissionais relataram que as relações do cotidiano na vida sentida e vivida em nosso Quintal faz com que os bebês realizem capacidades para aprenderem sozinhas a partir de si mesmos...

A busca por revelar a criança deve ser incansável.... Existem cem imagens diferentes de criança... Cada um de nós tem em seu interior uma imagem de criança que orienta sua relação com ela.... Essa teoria, em nosso interior, nos leva a um comportamento de diferentes maneiras; nos orienta quando falamos com a criança, quando escutamos a criança, quando observamos a criança... é muito difícil para nós atuar de forma contraria a esta imagem interna (MALAGUZZI, 1994, HOYUELLOS, 2004)

Encerramos a conversa na certeza que em nosso Quintal as crianças vivem e sentem as belezas extraordinárias do cotidiano....

Autor: Ciro Frare, CMEI | Fonte: Marcia Rodrigues Fernandes - Aline Eluize Cardoso
00198494.jpg
Fotos para noticia
1/33