Boas práticas curitibanas são apresentadas no Consec, em Vitória (ES)

    Publicado por:  Maria Duarte

Nesta sexta-feira (24/11), segundo dia da reunião do Conselho Nacional dos Secretários da Educação das Capitais (Consec) em Vitória (Espírito Santo), foi a vez de Curitiba apresentar suas escolas integrais.

Participaram presencialmente representantes de 11 capitais presentes (Belo Horizonte, Curitiba, Palmas, Vitória, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Fortaleza, Acre e Belém). As demais participaram online.

A secretária municipal da Educação de Curitiba e presidente do Consec, Maria Sílvia Bacila, apresentou o funcionamento da educação em tempo integral na capital do Paraná e detalhou as estratégias de expansão na rede.

Desde 2017, a rede municipal de ensino de Curitiba tem avançado na ampliação da oferta com educação em tempo integral. Já são 153 entre as 185 escolas com essa opção. As regionais Cajuru e Portão encerram este ano com integral em todas as suas escolas, e a meta é fechar 2024 com essa oferta em pelo menos parte das turmas na própria escola ou nas Unidades de Educação Integral (UEIs) próximas.

Todos os 232 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) já oferecem período integral. No início da gestão, a rede somava 86 unidades com integral. Em março de 2018, a capital do Paraná já havia atingido, antes do prazo previsto, a meta do Plano Municipal de Educação de oferecer tempo integral em metade das escolas da rede. Eram 92 escolas integrais, 50,2% da meta proposta.

“Buscamos qualificar e ampliar essa oferta, começando com parte das turmas e na sequência aumentando esse número, dentro da capacidade da rede. Iniciamos por turmas com maior demanda”, explica a secretária.

Dentro dessa estratégia, as principais ações do ano foram a abertura de UEIs, que concentram estudantes de várias escolas de cada região, e a melhoria da infraestrutura das escolas, com reformas em salas de aula, refeitórios e banheiros, além de revitalizações dos prédios já existentes.

O integral permite que o estudante permaneça com até 9h de atividades na escola e garante acesso a atividades pedagógicas diferenciadas, como Práticas de Movimento, Ciência e Tecnologia, Matemática, Educação Ambiental, Língua Portuguesa, entre outras. Também recebem alimentação escolar adequada ao tempo maior em que permanecem na unidade educacional. Além disso, são ofertadas atividades do Projeto Mãos na Massa, Curitibinhas Poliglotas, Leia+, entre outros.

A secretária ainda citou que a capital do Paraná subiu da 4ª para a 3ª colocação entre as capitais no índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e manteve a menor taxa de distorção idade-série entre as capitais.

 

 

Autor: SME | Fonte: SME
00452823.jpg
Secretários compartilham experiências no ES
1/1