As relações do Cotidiano Extraordinário que Marcam e Acolhem!

    Publicado por:  Aline Eluize Cardoso

As relações do Cotidiano Extraordinário que Marcam e Acolhem! Que produzem Sentido e Sentimentos! Com Jeitos e Modos de Viver as infâncias de Viver a Vida! Com Culturas que se entrelaçam, que afetam e se deixam afetar! Que captam emoções!
O papel da instituição de educação é de compreender as mudanças da sociedade, refletir sobre os acontecimentos do mundo e proporcionar um novo olhar com estratégias, numa perspectiva relacional.  Não significa abandonar as culturas, mas propor uma nova forma de valorizar os aspectos históricos, culturais ou afetivos, atuando na subjetividade de cada pessoa - Criança/adulto-, ampliando o repertório e acolhendo sem discriminações e exclusões. A parceria entre o CMEI e a família é fundamental para o desenvolvimento infantil, para tanto, reunir as famílias na instituição é uma oportunidade preciosa de aproximação, interação e fortalecimento de vínculos. No processo de acolhimento das diferentes culturas e estruturas familiares, as aprendizagens das crianças tornam-se visíveis, e é muito valioso e isso, só é possível propondo momentos em que as Culturas Familiares se entrelaçam, possibilitando cada vez mais, experiências de aprender. Nesse sentido, a proposta para o dia 10/05/2019 foi  de valorizar as relações entre família e CMEI, o que significa CONTINUIDADE. As professoras pesquisaram  junto às famílias o que os “apaixonava” quando criança, que marcas podem trazer para nosso Quintal e que seus filhos (as) podem viver junto a elas. Os TEMPOS, MODOS, RITUAIS, AMBIENTES, LUGARES, CHEIROS, SABORES e MARCAS dos tempos de infância, por exemplo, músicas, jeitos, objetos de apego, de aconchego, brincadeiras, fantasias, brinquedos, etc... E tudo contribui para a Escuta atenta em contextos educativos que  produzem um precioso processo de significados em encontros e reencontros contínuos com si mesmo, com o outro e com o mundo... 
Gratidão as professoras que compreendem todo esse contexto educacional...

Autor: Ciro Frare, CMEI | Fonte: Equipe EPA - Márcia Rodrigues Fernandes