Agosto Dourado: Entenda o que é e como aderir a essa campanha!

    Publicado por:  Priscila Chiquitti Nazario

Para conscientizar sobre a necessidade da amamentação exclusiva até os 6 meses de idade, foi criado o Agosto Dourado. Assim, as ações de saúde neste mês se voltam para a importância desse alimento para o desenvolvimento sadio de bebês e crianças.

A ideia é a mesma do Outubro Rosa e do Novembro Azul, ou seja, um movimento para alertar a população sobre um tema de extrema importância, mobilizando, para isso, sociedade, órgãos públicos e privados e instituições de saúde.

Quer entender melhor como surgiu essa campanha, seus objetivos e como sua entidade pode participar? Então acompanhe nosso post!

Como surgiu o Agosto Dourado?

A campanha tem origem em um encontro, em Nova Iorque, entre a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) em 1991. A reunião tinha como meta acompanhar o nascimento da Declaração de Innocenti (documento voltado para a amamentação) e elaborar ações a nível mundial para conscientizar sobre a causa.

Inicialmente, pensou-se em um dia para celebrar a data, depois passou a ser uma semana dedicada para o tema ? a Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM), que ocorre de 1 a 7 de agosto em vários países.

A SMAM é coordenada pela Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (WABA), que define um tema a cada ano e promove ações globais mostrando a importância da amamentação para crianças e mães.

 

Cor dourada

Por que a cor dourada para esse movimento? Por que o leite materno é considerado um alimento de qualidade ouro para bebês e crianças.

 

Campanha no Brasil

No Brasil, a Semana de Aleitamento Materno é comemorada desde 1999 com a coordenação do Ministério da Saúde. Em 2017, foi sancionada a Lei nº 13.435, que institui o mês de agosto como o Mês do Aleitamento Materno. A medida estabelece a realização de palestras e encontros na comunidade sobre a causa, além da decoração e iluminação de espaços públicos com a cor dourada.

 

Quais são os objetivos da campanha?

Talvez você já tenha visto alguma notícia ou relato em redes sociais de mulheres que ficam constrangidas ao amamentar em público. Isso ainda é muito recorrente por preconceito e desinformação de parte da sociedade, que não entende a importância desse alimento e de sua livre demanda, principalmente nos primeiros meses do bebê.

Movimentos como o Agosto Dourado existem para alertar a população de que esse é um ato natural e de muito amor. A mãe está alimentando seu filho, protegendo-o de doenças e também dando carinho. Assim, não deve haver nenhuma censura com essa questão.

O objetivo da campanha é, portanto, viabilizar ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno. Por isso, é necessário que, a cada ano, mais pessoas e entidades passem a divulgar essa causa.

O movimento que incentiva o aleitamento materno também é essencial para dar destaque aos bancos de leite. Demonstra a necessidade de mais doações de outras mães para que esses locais fiquem abastecidos e possam ajudar mais bebês, principalmente os prematuros.

 

Por que é tão importante celebrar essa data?

É fundamental celebrar o Agosto Dourado para proteger as crianças e reduzir os níveis de mortalidade infantil. Isso porque o leite materno é um alimento completo, sendo que o colostro, inclusive, é considerado a primeira vacina do bebê.

De acordo com a OMS, o recém-nascido que recebe o leite materno em até uma hora após o nascimento está mais protegido contra infecções. Além disso, nessas situações, há redução das taxas de mortalidade neonatal. Sem contar que esse evento faz com que a amamentação tenha sucesso nas próximas vezes.

O leite materno contém água, gorduras, proteínas, vitaminas e açúcares de que o bebê precisa para se desenvolver bem e crescer de forma saudável. Em sua composição, há ainda anticorpos. É, portanto, um alimento que protege contra infecções, principalmente as gastrointestinais, e contra a desnutrição.

Não é à toa que deve ser o alimento exclusivo até os 6 anos de idade, já que é de fácil digestão, está sempre na temperatura certa e, o melhor, não custa nada. Além disso, o ato de sugar ajuda no desenvolvimento da arcada dentária, da fala e da respiração do bebê. Por isso, é necessário alertar contra os perigos de bicos artificiais, como chupetas e mamadeiras, que podem comprometer a amamentação.

Crianças e jovens que foram amamentados quando bebês têm menos chances de apresentarem obesidade, segundo a OMS. Estão também mais protegidos contra problemas respiratórios e alergias.

Para as mães, a amamentação, além de aumentar o vínculo com a criança, ajuda a perder peso após o parto e ainda protege contra o câncer de mama e de ovário.

 

Como funiona o incentivo ao aleitamento materno na Prefeitura de Curitiba?

O Programa Mama Nenê realizado em parceria entre a Secretaria Municipal da Educação e a Secretaria Municipal da Saúde, incentiva e promove a continuidade do aleitamento materno, primando pela saúde, qualidade de vida e bem estar dos bebês dos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e Centros de Educação Infantil Contratados (CEIs). Por meio do referido programa, as mães que têm flexibilidade de horários podem amamentar seus bebês nas instituições educativas, em espaços especialmente preparados para o momento, ou são orientadas a retirar o leite materno, que é armazenado, aquecido adequadamente e oferecido ao bebê.

 

E no CMEI Pedro Claiton Pelanda como funciona?

           O CMEI Pelanda com apoio do Programa Mama Nenê incentiva e promove o aleitamento materno através do acolhimento do bebê, da mãe e/ou do casal que amamenta no espaço exclusivo e aconchegante, que fica no Hall de entrada, realiza ações em parceria com a Unidade de Saúde Salvador Allende e Sagrado coração, proporciona conversas informativas durante o ato da matrícula, orienta  sobre os procedimento necessários para a ordenha e ao longo do ano confecciona materiais informativos com ajuda das crianças e distribui para as famílias e comunidade local.

 

  • Gostou do nosso post? Você conhecia essa iniciativa? Compartilhe este conteúdo com seus amigos das redes sociais para que mais pessoas possam se engajar no movimento Agosto Dourado!
Autor: Priscila C. Nazário do Nascimento | Fonte: CMEI Pedro Claiton Pelanda
00307286.jpg
aleitamento
1/7