Acolhimento Com Olhar Sensível

    Publicado por:  Michelle Cristiane Bastos

ACOLHIMENTO COM OLHAR SENSÍVEL

 

O nosso CMEI acolhe todas as crianças em suas singularidades para atender seus direitos e assegurar diferentes aprendizagens por meio das interações e brincadeiras. Como por exemplo, o Carlos, que é uma de nossas crianças de inclusão diagnosticado com autismo e as propostas pedagógicas elaboradas para ele são preparadas a partir das conversas e relatos frequentes com seus responsáveis, que vêm nos apontando suas especificidades. Esse contato tem sido fundamental para que possamos identificar e contemplar os interesses, não só dele, mas das outras crianças do CMEI proporcionando momentos de grandes descobertas.

  • RISCOS E RABISCOS

Em uma das entregas de kit pedagógico enviamos para o Carlos, um pedaço grande de papel Kraft e riscantes diversos. Sua mãe sempre registra e compartilha conosco os momentos de exploração do Carlos. Conforme sugerimos, ela colocou o papel na posição vertical, preso a porta da casa para ele explorar e experimentar os riscantes livremente.

Carlos adora rabiscar, e sua mãe lhe oferece diferentes suportes e riscantes para que se divirta, “escrevendo”.

Carlos experimenta os riscantes, percebe que o giz de cera não produz o mesmo efeito da canetinha, ele segura um giz em cada uma das mãos e os observa atentamente procurando uma explicação para o ocorrido. Resolve retomar sua exploração utilizando novamente as canetinhas.

Ele inicia com um rabisco ordenado em um movimento circular e dentro do espaço criado rabisca sobrepondo em várias demãos, preenchendo o seu vazio.  Carlos usa as duas mãozinhas alternadamente ao fazer seus rabiscos. Experimenta com o toque do dedo sobre a tinta, parece estar realizando uma investigação, será que procura sentir a textura, ou o efeito da tinta sobre sua pele? São tantas descobertas. Carlos sente o prazer de riscar sobre o papel e pesquisa formas de ocupar a folha. 

CRIANÇA: CARLOS HENRIQUE MELLER - 3 a. 11 m.

(maio, 2021)

Autor: Pedagoga: Solange Morais | Fonte: CMEI NOSSA SENHORA DE FÁTIMA