Estudantes mostram na prática o que é uma cidade educadora

    Publicado por:  Maria Duarte

Mostras de trabalhos de estudantes, atividades mão na massa, contação de histórias, teatro de fantoches, gincanas, ações de educação ambiental, exposições de aprendizagem criativa e robótica nas escolas, rodas de conversa, aulas de campo, oficinas e até atividades físicas fizeram parte da programação do Dia Internacional das Cidades Educadoras, comemorado nesta terça-feira (30/11).

A programação envolve iniciativas da Educação, Cultura, Guarda Municipal e Trânsito, Ação Social, Saúde, Turismo, entre outras, conectando profissionais, estudantes e a comunidade com atividades e debates em todas as dez administrações regionais.

O estudante Jorge Rafael dos Santos Françoia, do 4º ano da Escola Municipal Papa João XXIII (Portão), mostrou na prática o que é uma cidade educadora, que envolve suas crianças na construção do futuro. Durante uma atividade no Farol do Saber e Inovação da unidade, estudantes do 4º ano contextualizaram as lições sobre os edifícios que marcaram a história da cidade. Da impressora 3D, saiu o Museu do Olho, entre outros protótipos. Jorge contou que adora a cidade e adora a escola. "Aprendi muito aqui, a fazer jogos, aprendi sobre os prédios de Curitiba. É isso que eu quero fazer quando crescer", disse o menino. 

Para essa atividade específica, foi lançado o guia pedagógico Brincando com Curitiba: Curitiba na Palma da Mão, material publicado pela Secretaria Municipal da Educação, com apoio da Coordenadoria de Obras, para subsidiar o desenvolvimento dessa ação pedagógica.

“Uma cidade educadora não deixa ninguém para trás. Todos são envolvidos nos debates de ideias e na construção do nosso futuro", resumiu a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila.

A programação do dia também contou com o lançamento dos anais do VIII Encontro Nacional das Cidades Educadoras e I Seminário da Secretaria Municipal da Educação – Territórios, Inovação, Educação Integral e Sustentabilidade: Contextos e Práticas, realizados em agosto.

“Este material traz o conteúdo dos debates, pois sempre estamos pensando em transformações na nossa cidade”, comentou Maria Sílvia.

Na Escola Municipal Professor Brandão (Alto da Glória), a comunidade escolar foi envolvida por projetos de robótica. As atividades foram desenvolvidas pelas professoras Berly Matos Lira Volpato e Vanessa Mello Furquim.

Já quem passou pelo centro da cidade teve a oportunidade de acompanhar ações culturais, organizadas pela Coordenadoria de Projetos. A Rua XV de Novembro, no centro, foi palco de uma estação educativa envolvendo a população, com música, mostras de trabalhos da educação e plantação de mudas de flores.

Na Secretaria da Educação, todos os departamentos se envolveram nas ações. “Nosso trabalho durante os últimos anos foi transformado e renovado com ações criativas e dinâmicas, atendendo as nossas crianças e estudantes de forma inédita”, comentou a diretora de Logística da Educação, Maria Cristina Brandalize, lembrando que as entregas de mobiliário e materiais novos às unidades da rede segue em andamento.

Veja os detalhes do que foi realizado

Autor: SME | Fonte: SME