Educação investe R$ 2 milhões em itens de prevenção ao coronavírus

    Publicado por:  Maria Duarte

A Secretaria Municipal da Educação investiu, por enquanto, R$ 2 milhões na aquisição de itens para prevenção ao novo coronavírus e produtos de limpeza destinados a toda rede municipal de ensino. Esse material será utilizado no dia a dia das unidades com a volta às aulas de maneira híbrida, em 18 de fevereiro.

A secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, explica que, além do que já foi adquirido em Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e itens de limpeza utilizados durante as entregas de kits de alimentação e pedagógicos ao longo de 2020, mais compras serão feitas ao longo dos meses pela secretaria, conforme a necessidade.

Entre os materiais já comprados pela Educação para atender as unidades estão 675 tapetes sanitizantes (custo de R$ 58,6 mil), 1,5 mil termômetros infravermelhos (R$ 207 mil), 1,5 mil totens para álcool gel (R$ 270 mil), 615 mil máscaras reutilizáveis (R$ 1,2 milhão), além de 4,6 mil face shields e 5 mil luvas de látex, esses dois últimos itens adquiridos pela Secretaria Municipal da Administração e Gestão de Pessoal (SMAP).

Entre o material de limpeza há álcool gel 70%, álcool líquido 70%, papel toalha, sabonete, água sanitária, desinfetante, com investimento de R$ 234 mil até agora.

A secretária explica que os face shields, luvas e bombas de álcool, por exemplo, já foram usados ao longo do ano passado durante as entregas de kits pedagógicos e de alimentação às famílias de crianças e estudantes.

“Isso foi organizado de maneira a respeitar todas as normas sanitárias recomendadas pelas autoridades de saúde, com distanciamento social, uso de máscaras, entre outros cuidados”, disse Maria Sílvia.

Para pequenos gastos do dia a dia, os diretores também podem utilizar o dinheiro do Fundo Rotativo, programa da Prefeitura de Curitiba que repassa recursos financeiros diretamente às unidades, para a manutenção rotineira e outras despesas relacionadas com as atividades educacionais.

De 2017 até 2020, as unidades da rede receberam cerca de R$ 60 milhões, pelo Fundo Rotativo.

Escolha será da família

O retorno às aulas, este ano, será diferente. As 140 mil crianças e estudantes iniciarão o ano letivo, no dia 18 de fevereiro, em modelo híbrido ou remoto, no qual parte deles irá presencialmente para a unidade e os demais acompanharão os conteúdos por meio de videoaulas, como tem ocorrido desde abril devido à pandemia do novo coronavírus.

A escolha do modelo caberá as famílias, e pode ser mudada a qualquer momento. Quem optar pelas aulas presenciais levará o filho para unidade, após assinar um termo de responsabilidade, ou o estudante terá acesso ao mesmo conteúdo, conforme seu ano escolar, por meio das videoaulas da TV Escola Curitiba.

Todas as normas e orientações para o retorno presencial estão no Protocolo de Retorno das Atividades Presenciais, apresentado no dia 18 de dezembro, durante videoconferência, na Prefeitura de Curitiba, pelo prefeito Rafael Greca e pela secretária da Educação.

Veja aqui a íntegra do protocolo.

Nova rotina

Com o retorno das aulas presenciais na rede municipal de ensino, as crianças e estudantes que estiverem no modelo presencial terão uma nova rotina, com os cuidados necessários por causa da pandemia.

Para quem frequentar as unidades, o protocolo prevê uso obrigatório de máscara, distanciamento entre as carteiras de 1,5 metro, horários alternados de intervalo, uso de álcool gel, tapetes sanitizantes, interdição de bebedouros coletivos, aferição de temperatura, entre outros cuidados.

Confira os principais cuidados:

- uso obrigatório de máscara para profissionais e estudantes

- totens e frascos de álcool gel disponíveis

- horários de entrada, saída, refeições e intervalos escalonados para evitar aglomerações

- interdição de bebedouros coletivos

- distanciamento social de 1,5 metro

- desinfecção de mobiliário e materiais em geral com álcool 70%

Saiba mais sobre o coronavírus.

Autor: SME | Fonte: SME