LIVRO A AUTOPRODUÇÃO MUSICAL- TÉO RUIZ

O livro "A Autoprodução Musical" cumpre uma função importantíssima, justamente nesse momento de reconfiguração do setor musical. Há, no livro, em linguagem inteiramente livre de academicismo e apresenta uma série de conceitos que se inserem no frame do processo em curso, nomeando-os, conceituando-os. Esse passo é importante em muitos sentidos. A produção de documentos que se tornam referencias históricas, a nomeação dos fatos constrói, estrutura o discurso; isso é da maior importância funcional: edifica as bases do discurso e dessa forma podemos estabelecer os diálogos institucionais com os atores num campo em disputa e sobre o qual ainda não consolidamos posição. É um campo em disputa e justamente a produção de documentos estabelece as primeiras fronteiras. O termo "autoprodutor", já utilizado em discussões sobre políticas públicas para a música, ganha no título desse livro um salto quântico de valor.

Felipe Radicetti

(tecladista, arranjador, compositor e membro do Grupo de Ação Parlamentar - GAP)

 

Contemplados:

Eva Silveira de Lima - CEI Érico Verissimo (NREBQ)
Márcia Ferreira Brandão - E.M. Helena Kolody (NRETQ)
Fabiana Cléa Sawada Beggiora - CMEI Irmã Dulce (NREBV)
Rodrigo Thoaldo da Silva - E. M. Vereador João Stival (NRESF)