HISTÓRIAS E RETRATOS DA FEIRA DO LARGO DA ORDEM

Por Guia Curitiba

Coletânea das memórias das pessoas responsáveis pela permanência de uma das maiores feiras urbanas do Brasil a partir do enfoque histórico, antropológico e fotográfico. O resultado consiste no livro e na exposição de fotografias de Carol Castanho.

Com 50 obras da fotógrafa Carol Castanho, as imagens retratam cenas dos tradicionais domingos no Largo da Ordem e também do dia a dia dos feirantes. 

“As fotografias contidas no livro, e que agora estarão na exposição, são para que os feirantes se vejam e se apropriem do importante lugar que ocupam na história da cidade e para que no futuro possamos ver quem eram essas figuras que movimentam Curitiba aos domingos”, diz Carol Castanho. 

As fotografias são apenas uma parte do trabalho que coletou memórias das pessoas responsáveis pela existência de uma das maiores feiras urbanas do Brasil. O projeto envolveu pesquisa histórica realizada por Soraia Gatti, e antropológica, guiada por Luana Camargo.

A Feira do Largo da Ordem surgiu no início da década de 1970 e logo em seguida foi oficializada. Hoje, 50 anos depois, reúne em torno de 1.300 pessoas mantenedoras do evento: artesãos, cozinheiros e comerciantes de produtos. Em 2018, a Feira do Largo da Ordem foi reconhecida como patrimônio imaterial de Curitiba pelo Conselho Municipal de Patrimônio Cultural.

Contemplados (as) 

Adriana Margaret Slonski Leal - Escola Municipal Ana Hella 

Gabriela Bueno Rodrigues - CMEI Vila Parolim 

Luciane de Fátima Borsch - CMEI  Hermes Macedo

Noely  Bach Olegini -  CMEI Liberdade 

Rodrigo de França - Departamento de Educação Infantil 

Silvia Kos - Protocolo - Delta 

Tatiane Carolina da Silva de França - Escola Municipa Sady Sousa